Tecnologia

RIP Nokia: 10 telemóveis que marcaram a nossa vida

   

É oficial. A Microsoft decidiu esta semana retirar a designação “Nokia” dos seus Lumia, marcando o fim da presença da marca de origem finlandesa no mundo dos smartphones. Para além do rebranding dos Lumia, os sites e as páginas dos telemóveis Nokia nas redes sociais vão migrar para a Microsoft.

Contudo, esta eliminação da marca vai ser gradual. A Microsoft tem uma licença para usar a marca Nokia durante mais alguns anos, e deverá continuar a fazê-lo durante pelo menos mais algum tempo nos modelos low cost – os chamados ‘dumbphones’ – como o Nokia 130, direccionados para mercados como o africano ou o sul-americano.

Recorde-se que a Microsoft adquiriu este ano a divisão de aparelhos e de serviços da Nokia, responsável pela produção de smartphones e outros telemóveis, por cerca de 7 mil milhões de dólares. O que resta do portfólio da outrora gigante finlandesa de telecomunicações é o negócio das redes e infraestruturas, que passou a ser a actividade primária da Nokia.

Mas antes do adeus, fica aqui uma lista de dez telemóveis que fizeram parte da história da Nokia – e da nossa história também:

1. Nokia Mobira Senator

Em 1982, a empresa criou o primeiro telefone portátil para automóveis. Um autêntico malote, a inovação mundial pesava 10 quilos e custava o equivalente a actuais 5.000 euros.

2. Nokia Mobira Cityman 900

Datado de 1987, foi um dos primeiros telefones móveis compactos. O Cityman 900 foi celebrizado por uma fotografia que mostrava o então Presidente da União Soviética Mikhail Gorbachov a utilizar o modelo durante uma visita a Helsínquia. Na altura, era uma imagem futurista e exótica. Hoje é apenas um pedaço de história (como a própria URSS).

3. Nokia 1011

Em 1992, chegava o primeiro telemóvel GSM da Nokia. As suas capacidades, avançadíssimas à data, provocam hoje sorrisos: a bateria durava 90 minutos de chamada e a memória guardava apenas 99 contactos.

4. Nokia 2110

Em 1994, a Nokia introduzia com o 2110 dois elementos a partir de então indissociáveis dos telemóveis da marca: o famosíssimo toque inspirado na Gran Vals de Francisco Tarrega e o jogo Snake, que tanto jeito nos deu em intermináveis viagens de autocarro, em salas de espera de consultórios e – admitamos – nas aulas.

5. Nokia 9000 Communicator

Um dos primeiros smartphones do mundo chegava em 1996. O Communicator era na prática um mini-computador portátil que permitia redigir documentos e receber e enviar email e fax. Caro, não atingiu o esperado volume de vendas. Era demasiado avançado para a época.

6. Nokia 3210

Este foi um dos maiores sucessos de vendas da Nokia. O 3210, de 1999, entrou praticamente em todas as salas de estar e salas de aula com as suas capas de plástico coloridas e as suas mensagens com imagens.

7. Nokia 3310

O sucessor do 3210, lançado no final de 2000, foi um sucesso estrondoso e recebeu os maiores elogios da imprensa especializada. Era perfeito para o SMS, pois foi dos primeiros telemóveis a permitir a escrita de mensagens três vezes maiores que o habitual. Era altamente costumizável e incluía uma enorme variedade de toques. Em Portugal, não havia adolescente que não o tivesse – ou o desejasse.

8. Nokia 6650

Em 2002, a Nokia introduzia o primeiro telemóvel 3G do mundo, outro enorme sucesso de vendas – mais de 200 milhões de unidades expedidas.

9. Nokia N-Gage

Tal como o Communicator, o (ou “a”) N-Gage foi outro telemóvel demasiado avançado para o seu tempo que acabou por ter vendas limitadas. Lançado em 2003, era sobretudo uma sofisticada consola portátil de videojogos e um leitor de multimédia. O seu design fez história, e está a tornar-se num disputadíssimo objecto de coleccionador.

10. Nokia Lumia 800

O primeiro Windows Phone, fruto da parceria entre a Nokia e a Microsoft, chegou em 2011. Tecnicamente falando, era uma boa resposta dos finlandeses ao iPhone. Mas do ponto de vista comercial, o smartphone da Apple era imbatível. E esse foi indubitavelmente uma das causas do naufrágio da Nokia.

pedro.guerreiro@sol.pt