Sociedade

Moção que reivindica separador central no IC2 foi aprovada

A Câmara de Leiria aprovou hoje por unanimidade uma moção que reivindica à Estradas de Portugal a instalação de um separador central no itinerário complementar 2 (IC2), onde em menos de 15 dias morreram duas pessoas.


"A Câmara Municipal de Leiria solicita à Estradas de Portugal, entidade responsável por esta via, obras de requalificação que contemplem a criação de um separador central no troço do IC2 desde o nó com a estrada nacional 109 até ao limite norte do concelho, de forma a fortalecer a segurança rodoviária", refere a moção, lida pelo vice-presidente da autarquia, Gonçalo Lopes, e subscrita por toda a vereação, eleitos do PS e PSD.

No documento, o município pede ainda à empresa que desenvolva, "com carácter de urgência, esforços para que realize uma intervenção que possa mitigar pontos críticos na via, de maneira a contribuir para a prevenção de acidentes, salvaguardando pessoas e bens".

A moção adianta que o IC2 é referenciado "como uma das vias com a sinistralidade mais elevada do distrito de Leiria, marcada por diversos pontos negros e zonas de acidente".

Apesar do "elevado número de acidentes que se tem registado no troço do IC2", este não possui um separador central, lê-se no documento, salientando que a autarquia, "desde o momento em que foi realizada a requalificação, reivindicou junto da Estradas de Portugal" a colocação da estrutura para reforçar as condições de segurança.

A moção acrescenta que, "em pouco mais de dois meses, três pessoas perderam a vida, em outros tantos acidentes, havendo ainda a registar pelo menos sete feridos ligeiros e dois graves num troço marcado por uma grande pressão viária tanto de viaturas ligeiras como de veículos pesados".

Em menos de duas semanas, morreram duas pessoas no troço do IC2 que atravessa Leiria. O primeiro acidente, no dia 06, vitimou uma estudante, na Boa Vista, e na sexta-feira uma lojista morreu naquela via, em Marrazes.

Os acidentes, que estão a ser investigados pela GNR, terão ocorrido quando viaturas entraram em despiste e colidiram com veículos que circulavam na faixa contrária, informou fonte desta polícia.

Na sequência do último acidente, corre na Internet uma petição pública na qual os subscritores pedem separadores no IC2 e, no domingo, duas mil pessoas participaram numa marcha lenta na via num protesto pela sua colocação.

À agência Lusa, a Estradas de Portugal esclareceu a semana passada que "está a desenvolver um projecto de intervenção, que engloba igualmente trabalhos ao nível de segurança rodoviária, no IC2 entre Leiria e Coimbra", adiantando que, "dadas as condicionantes decorrentes das características do traçado e da elevada ocupação marginal nesta zona do IC2, não está prevista a introdução de qualquer separador físico".

"Salientamos também que a EP está a desenvolver este projecto com o conhecimento e em total articulação com as autarquias", acrescentou a empresa.

Lusa/SO

Os comentários estão desactivados.