Vida

10 horas de piropos captados em vídeo

O grupo Hollaback – associação que luta contra este tipo de comportamentos – decidiu filmar uma rapariga a andar por Nova Iorque. Os resultados não podiam ser mais claros: Ao fim de 10 horas a andar em silêncio pelas ruas da cidade, a jovem ouviu 108 piropos – isto sem contar com piscadelas de olho ou assobios.

De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention, uma em cada três norte-americanas afirma que já foi vítima do que chama “experiencial sexual não consentida e sem contacto físico”, categoria na qual se inclui os comportamentos filmados.

Outro estudo divulgado pelo grupo Stop Street Harassment (Parem com o assédio no meio da rua, em português) mostra que dois terços das 2000 mulheres inquiridas afirmam que já foram vítimas deste tipo de abuso. 23% afirmam que foram tocadas pelo homem que as assediava e 20% dizem que foram perseguidas.

Para perceber o impacto do que é dito (e feito) no meio da rua, o melhor é ver o vídeo. 

joana.alves@sol.pt

Uns acreditam que os piropos são inofensivos. Outros afirmam que são uma forma de assédio.