Sociedade

‘O Islão mudou a minha vida’

Todos os dias, o empresário Hibraim vai à Mesquita Central de Lisboa rezar e conviver. Quando sai pela porta principal, volta a ser conhecido como Cripriano Ramos, um ex-católico de 60 anos, que recentemente se converteu ao islamismo.


“Converti-me a 4 de Janeiro deste ano e adoptei outro nome. E a minha mulher também. O Islão mudou a minha vida e tornou-me mais calmo e tolerante” - conta ao SOL, orgulhoso de pertencer a uma comunidade religiosa que em Portugal terá cerca de 50 mil fiéis e 42 mesquitas e lugares de culto, apesar de, muitas vezes, o Islão aparecer associado a histórias de terrorismo, como a da recente adesão de jovens portugueses à Jihad do Estado Islâmico. “Isso não tem nada a ver com o Islão mas com pessoas más. Há muçulmanos maus, como há católicos maus”, afirma Hibraim, que todos os dias partilha as orações com muçulmanos de várias nacionalidades, como africanos, árabes e asiáticos. A estes, juntam-se cada vez mais portugueses. 

“De facto, as conversões estão a aumentar”, diz ao SOL o Sheik Munir, o líder da Mesquita Central de Lisboa.

Leia mais na edição impressa do SOL hoje nas bancas

catarina.guerreiro@sol.pt