Internacional

Ucrânia vai receber gás a conta-gotas

A União Europeia e Kiev chegaram a acordo com a Rússia para o fornecimento de gás à Ucrânia. O acordo foi firmado em Bruxelas, esta quinta-feira, sendo que a UE e o Fundo Monetário Internacional serão os financiadores da primeira fatia. 

O acordo define um preço de 305 euros por mil metros cúbicos durante o contrato, que vai de Novembro de 2014 a Março de 2015. Os pagamentos serão feitos mensalmente e antecipadamente.

O anúncio coube ao presidente cessante da Comissão Europeia, Durão Barroso. “Não podia haver melhor forma de terminar”, disse.

Este acordo, apesar de ser relevante – tendo em conta o risco real de os ucranianos ficarem sem gás já este Novembro –, não é uma solução duradoura.

O recente apoio declarado pelo Kremlin às eleições dos separatistas pró-russos nas províncias de Donetsk e Lugansk (marcadas para o dia 2 de Novembro) e as provocações russas ao sobrevoarem o espaço aéreo europeu com 15 aviões militares demonstram que o novo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, terá muito trabalho pela frente.  

A dívida da Ucrânia à empresa russa Gazprom ronda os 4.000 milhões de euros e o desbloqueamento do gás para Kiev só acontecerá se forem pagos cerca de 1.7 mil milhões de euros, afirmou Alexei Miller, secretário de Estado de energia e presidente do conselho de administração da Gazprom. Desse valor, 1.1 mil milhões de euros são para reduzir a dívida e o restante para ser desbloqueado o gás para o mês de Novembro.

"Tudo depende do tempo que a Ucrânia demore a pagar. Pensamos que isso pode acontecer até ao final da próxima semana", disse Miller à emissora de televisão estatal Rossiya 24, quando questionado sobre a retoma do fornecimento.
Alexei Miller disse ainda que Kiev terá que pagar cerca de 607 milhões de euros para receber gás em Dezembro.