Cultura

Portugal terá um pavilhão na Bienal de Veneza

O director-geral das Artes, Samuel Rego, disse hoje à agência Lusa que Portugal terá um pavilhão na 56.ª Exposição Internacional de Arte - Bienal de Veneza 2015, estando aquela entidade a estudar "várias possibilidades".

A Direcção-Geral das Artes (DGArtes) anunciou hoje que o artista português João Louro e a comissária espanhola María de Corral vão criar o projecto para a representação de Portugal na próxima edição da Bienal de Veneza, a mais importante mostra mundial de arte contemporânea.

Entre 2007 e 2012, Portugal apresentou anualmente os seus projectos oficiais das mostras de arte e de arquitectura, na Bienal, no palácio Fondaco Marcello, um edifício histórico situado junto ao Grande Canal, em Veneza.

Contactado pela agência Lusa, o director-geral das Artes disse que "há várias possibilidades em cima da mesa que estão a ser estudadas, mas haverá um pavilhão português nos moldes tradicionais".

Ângela Ferreira foi a primeira artista a apresentar o seu projecto no palácio Fondaco Marcello, em 2007, e por ali passaram também o artista Francisco Tropa e projectos de arquitectura com a participação, entre outros, de Eduardo Souto de Moura e Álvaro Siza Vieira.

"Lisbon Ground", a exposição que representou Portugal na 13.ª Mostra Internacional de Arquitectura da Bienal de Veneza, foi a última a ser ali apresentada, em 2012 e, em 2013, quando a artista Joana Vasconcelos foi convidada, solucionou o problema da falta de um espaço próprio, com a transformação de um cacilheiro em obra de arte e em pavilhão flutuante.

Este ano, na 14.ª Exposição Internacional de Arquitectura da Bienal de Veneza, Portugal apresentou o seu projecto em forma do jornal "Homeland|News from Portugal", com conteúdos originais desenvolvidos por uma equipa multidisciplinar, que foi distribuído aos visitantes, no recinto.

Sobre o orçamento que a DGArtes, responsável pela organização da representação portuguesa em Veneza, vai disponibilizar para a edição de 2015, Samuel Rego disse que "ainda não está fechado", não podendo confirmar se atingirá os 175 mil euros, como o atribuído a Joana Vasconcelos em 2013.

"Estamos a trabalhar para que em 2015 haja um valor considerável dentro das condições actuais", indicou, acrescentando que "a Fundação EDP terá um envolvimento destacado como patrocinador do projecto artístico".

A 56.ª Exposição Internacional de Arte, Bienal de Veneza 2015, cujo curador geral é Okwui Enwezor, terá como tema "All the World's Futures" ("Todos os Futuros do Mundo", em tradução livre), e vai decorrer entre 9 de Maio e 22 de Novembro de 2015.

Lusa/SOL