Sociedade

GNR trava gangue que produzia álcool ilegal

A Unidade de Acção Fiscal da GNR desmantelou um grupo criminoso organizado que se dedicava à produção e comercialização de álcool e bebidas alcoólicas em território nacional e em Espanha, estimando-se em cerca de 3 milhões de euros o valor do imposto que o grupo terá lesado o Estado português.


Nas últimas 24 horas, em colaboração com a Polícia Nacional espanhola, foram feitas 16 buscas domiciliárias e 14 não domiciliárias no âmbito de um inquérito que corre termos no Departamento Central de Investigação e Acção Penal.

A investigação foi iniciada há um ano, tendo culminado com a realização de buscas em diversas localidades dos distritos de Lisboa, Porto, Santarém, Aveiro, Leiria e Viana do Castelo. Além de diversa documentação, foram apreendidos 36 telemóveis, mais de três mil euros em numerário e 14 viaturas (várias de gama média/alta), que eram utilizadas pelos suspeitos em acções que tinham como objectivo evitar a detecção pela Polícia dos transportes ilegais.

Foram constituídos dez arguidos (nove homens e uma mulher), com idades compreendidas entre os 38 e 50 anos, que estão indiciados pela prática dos crimes de associação criminosa, fraude fiscal qualificada e introdução fraudulenta no consumo qualificada.

Em simultâneo, foram realizadas em Espanha, pelo Cuerpo Nacional de Polícia do Reino de Espanha, 11 buscas nas regiões de Vigo e Ourense, a armazéns e locais de distribuição de bebidas, o que resultou na detenção de seis homens, entre eles um cidadão de nacionalidade portuguesa, tendo sido apreendidos 45 mil litros de álcool e bebidas alcoólicas marginais, cerca de 350 mil euros em numerário, 19 armas de fogo, uma pistola taser e uma granada. 

sonia.graca@sol.pt