Opiniao

Com a bênção de São Domingos

O 2.º encontro com o Vinho e Sabores da Bairrada abriu-nos as portas das Caves de São Domingos e de alguns dos seus vinhos e espumantes. Tudo começou com um Lopo de Freitas Espumante Bruto 2009, muito elegante, mineral e a evidenciar notas florais e cítricas. No nosso caso acompanhou na perfeição uns óptimos torresmos, que abriram o apetite para a chora de bacalhau, basicamente uma sopa usada antigamente a bordo dos bacalhoeiros que pescavam nos mares do Norte e que era feita com arroz ou massa e caras de bacalhau, porque estas tinham menos valor comercial. 

Acompanhou-a um São Domingos Branco 2013 que por já se encontrar esgotado não ocupará aqui espaço. A chanfana da Bairrada, esta sim, teve a companhia garbosa de um São Domingos Reserva Tinto 2009 de aroma frutado, algum florar e que se revelou aveludado na boca e fresco, com um bom final. Para as sobremesas variadas veio o São Domingos Espumante Blanc de Blancs Bruto 2011 a evidenciar algum mineral, muita elegância e acidez refrescante. A pedido, foi ainda provado o São Domingos Espumante Baga 2008, pondo assim em evidência a casta querida da região.

Da enóloga Susana Pinho o mínimo que há a dizer é que os seus vinhos e espumantes tiveram, sem dúvida, a bênção de São Domingos, o frade nascido no século XII e que fundou a Ordem dos Pregadores, mais conhecida por Dominicanos. Apreciadores de alguns prazeres da mesa, talvez tenham inspirado a enóloga a descobrir grandes vinhos e espumantes como estes que nos foram apresentados à mesa.

jmoroso@netcabo.pt