Sociedade

Serviço 112 transfronteiriço reforçado para investir em ‘drones’

O projecto transfronteiriço de Assistência Recíproca Inter-regional em matéria de Emergências (ARIEM-112) vai investir 600 mil euros em `drones´ para reforçar a prestação de socorro aos cidadãos, revelou hoje à Lusa fonte oficial.

De acordo com a fonte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) a aquisição deste "equipamento sofisticado" vai "aumentar a capacidade de resposta em emergência" de um serviço que cobre uma população de quase 572 mil pessoas de 109 municípios do Norte de Portugal, Galiza, Castela e Leão.

Aquela fonte adiantou que o acordo entre os parceiros do projecto ARIEM, que prevê o reforço orçamental de 600 mil euros, vai ser assinado sexta-feira na sede da CCDRN com a presença do vice-presidente da Junta da Galiza, Alfonso Rueda.

Além da Comunidade Autónoma da Galiza, aquele acordo envolve a Comunidade Autónoma de Castela e Leão e, do lado português, a CCDRN, representada pelo INEM, Autoridade Nacional de Protecção Civil e PSP. 

Com aquele reforço financeiro "prevê-se a intensificação das dinâmicas inicialmente desenvolvidas, com aquisição e uso generalizado de equipamento mais sofisticado, como 'drones', assim como abarcar um leque mais amplo de situações de emergência nos dois lados da fronteira".

A realização de mais um simulacro operacional na zona transfronteiriça (Ayuntamiento de Laza, Orense) é outra das acções previstas no âmbito deste reforço orçamental, "tendo agora como objecto o resgate de vítimas de um acidente de tráfego e posterior acidente do helicóptero de apoio numa zona de difícil acesso". 

O ARIEM é co-financiado pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal (POCTEP).

Numa primeira fase, "já concluída", o '112' transfronteiriço, que está a ser desenvolvido há mais de um ano, "representou um investimento de 400 mil euros, co-financiado em 75% pelo POCTEP".

O Pacto de Ajuda Mútua (PAM) que formalizou a cooperação entre as três regiões foi assinado em Outubro de 2013, no Porto, na CCDRN, entidade portuguesa que coordena o projecto que envolve 109 municípios (87 espanhóis e 22 portugueses). 

O '112' transfronteiriço dispõe de uma plataforma informática, através da qual são feitos os pedidos de ajuda internacional e accionados os meios inseridos nessa plataforma. 

O serviço está ainda dotado de um sistema de videoconferência que permite interligar os parceiros das três regiões. 

No Norte de Portugal e nas duas regiões espanholas existem 1.196 efectivos contra incêndios e salvamento, 73 esquadras, oito helicópteros com medicalizados e quatro de resgate, 121 equipas para emergências especializadas, 263 veículos contra incêndios e salvamento e 211 instituições de saúde.

Lusa/SOL