Sociedade

Vistos gold: dois empresários portugueses detidos

Dois empresários portugueses estão entre os 11 arguidos ontem detidos pela Polícia Judiciária, no âmbito da investigação ao tráfico de influências e corrupção na emissão de ‘vistos gold’.


Segundo o SOL apurou de fonte judicial, foram igualmente detidos três empresários de nacionalidade chinesa e três funcionários do Instituto de Registos e Notariado (IRN) que desempenham cargos de chefia intermédia.

A estes sete detidos, somam-se os três altos quadros da Administração Interna e da Justiça: Manuel Jarmela Palos (director do Serviço de Estrangeiro e Fronteiras desde 2005), António Figueiredo (presidente do IRN) e Maria Antónia Anes (secretária-geral do Ministério da Justiça).

A operação policial, de buscas e detenções, encontra-se já concluída. Decorrem neste momento os interrogatórios dos arguidos detidos, no Tribunal Central de Instrução Criminal. Segundo a Procuradoria-geral da República, as “buscas destinaram-se à recolha de informação relacionada com departamentos, serviços e funcionários daqueles ministérios e não visavam membros do governo”.

A decisão de concessão dos ‘vistos gold’ – legalmente designados como “autorização de residência para actividade de investimento” -- é da competência exclusiva do director nacional do SEF.

Portas no Parlamento

O PSD e o CDS anunciaram, entretanto, que vão viabilizar a audição no Parlamento do vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, que lançou em 2013 o programa de ‘vistos dourados’, quando era ministro dos Negócios Estrangeiros.

sonia.graca@sol.pt

 

Os comentários estão desactivados.