Sociedade

Dezassete pessoas internadas em Beja ‘não estão em perigo’

As dezassete pessoas que foram transportadas hoje à tarde do edifício da Portugal Telecom (PT) em Beja para o hospital da cidade com sinais de intoxicação "encontram-se bem e não estão em perigo", segundo fonte hospitalar.

A responsável do gabinete de comunicação da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, Graça Fortunas, adiantou à agência Lusa que "as pessoas vão ter alta logo que o seu quadro clínico o permita, o que se prevê acontecer nas próximas horas".

Graça Fortunas adiantou que "não se verifica situação de alarme público".

De acordo com a mesma fonte, deram entrada no serviço de urgência do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, 17 adultos - sete homens e 10 mulheres, com idades entre os 21 e os 41 anos -, funcionários de um "call center" da PT, que apresentavam "em diferentes graus sintomas respiratórios, náuseas e vómitos, revertidos com a terapêutica instituída".

"Esta sintomatologia iniciou-se, alegadamente, após contacto com produto utilizado em desinfestação efectuada durante a noite de sexta-feira no seu local de trabalho, o edifício da PT em Beja", acrescentou Graça Fortunas.

A responsável do gabinete de comunicação adiantou que "o produto em causa foi identificado e foram cumpridos, pelo hospital, os trâmites habituais nestas situações".

"Foram transmitidas as medidas preventivas aos restantes trabalhadores da instituição em causa", acrescentou.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja indicou que o alerta foi dado às 15h54, tendo sido mobilizados para o local 10 operacionais dos Bombeiros Voluntários de Beja, apoiados por quatro viaturas, elementos da PSP e da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT).

Lusa/SOL