Sociedade

Mais intoxicações na PT de Beja

Quarenta trabalhadores do "call center" da PT em Beja deram hoje entrada nas urgências do hospital da cidade, devido a sintomas de intoxicação, disse à agência Lusa fonte da unidade hospitalar.

De acordo com a mesma fonte, deram entrada na urgência do Hospital de Beja 40 pessoas, com idades entre os 20 e os 50 anos.

"Apresentam sintomas como vómitos, náuseas e ardor na garganta", disse, referindo que foi administrada às vítimas "terapêutica para reverter os sintomas" e que "deverão ter alta assim que o quadro clínico o permitir", o que deverá ocorrer ainda hoje.

No entanto, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja adiantou à Lusa que, além das pessoas que foram encaminhadas para a unidade hospitalar, outras 14 foram assistidas por um clínico da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) na sala de triagem instalada no primeiro piso do edifício da PT.

De acordo com a fonte do CDOS de Beja, os casos de intoxicação, cujo alerta foi dado às 14:12, ocorreram no edifício da PT em Beja, onde funciona um "call center" da empresa.

Em declarações aos jornalistas, junto ao edifício da Portugal Telecom (PT) em Beja, o segundo comandante dos bombeiros locais, Pedro Barahona, disse que "são todos feridos leves, que apresentavam sintomas de vómitos, náuseas, ardor nos olhos e irritação na pele".

Segundo o responsável dos bombeiros, na origem dos sintomas de intoxicação está um pesticida utilizado na desinfestação do edifício.

A desinfestação foi feita na sequência de queixas dos trabalhadores devido a existência de piolhos dos pombos.
Os trabalhadores afectados desempenhavam funções nos 3.º e 4.º andares do edifício, onde funciona o "call center" da PT.

Pedro Barahona adiantou que a administração da empresa decidiu encerrar o edifício, não devendo reabrir na terça-feira, "até que haja uma avaliação da qualidade do ar e das condições de trabalho".

As averiguações estão a cargo da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) e da autoridade de saúde local.
No sábado, outras 17 pessoas do "call center" da PT em Beja foram levadas para o hospital da cidade com sinais de intoxicação, tendo tido alta horas depois.

O segundo comandante dos bombeiros explicou que no domingo não se registaram queixas de intoxicação porque "ninguém trabalhou" no local nesse dia.

As operações de socorro mobilizaram 36 operacionais, apoiados por 18 viaturas, de seis corporações de bombeiros de várias corporações e elementos da PSP e da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT).

Prestaram também socorro às vítimas uma ambulância de Suporte Imediato de Vida de Castro Verde e a VMER do Hospital de Beja.

O edifício da PT em Beja foi evacuado hoje à tarde.

A rua junto ao edifício da PT esteve temporariamente cortada.