Vida

Os problemas de pôr o preservativo à pressa

Colocar um preservativo à pressa pode trazer muitos problemas. De acordo com um estudo citado pela Reuters, este problema aumenta o risco de transmissão de doenças sexuais infecciosas, como a clamídia e a gonorreia.

O uso correcto do preservativo ajuda também a prevenir a transmissão do vírus VIH e de HPV.

Das mais de 512 pessoas inquiridas, das quais 60% são mulheres, a maioria admitiu ter tido situações em que o preservativo se rompeu ou saíram fluidos devido à forma como o colocavam.
Para além disso, os casais que afirmam pôr o preservativo ‘a correr’ admitem que não o usam durante o acto sexual na sua totalidade.

“Leve o tempo que for preciso. Se vai usar um preservativo, use-o correctamente. Assim evitará uma série de problemas”, explicou à Reuters Lydia Shrier, líder da investigação e médica no Boston Children's Hospital e professora da Harvard Medical School.

A maioria dos estudos apoia-se apenas na pesquisa de dados relacionados com homens. No entanto, esta nova investigação quis saber qual o impacto deste problema nas mulheres. Assim, os inquiridos tiveram que realizar um ‘diário sexual’ durante 180 dias, de forma a perceber os problemas que ocorriam no que diz respeito a preservativos.

Em 7% das relações sexuais, os participantes admitiram pôr o preservativo à pressa. Destas, 5% resultaram numa protecção rasgada. A percentagem de problemas com preservativos quando as pessoas não se apressam é de 2 a 3%.

Para além disso, 22% das pessoas que admitiram pôr o preservativo ‘a correr’ reconheceram que não o usam durante todo o acto sexual. Para as pessoas que não colocam a protecção à pressa, esta percentagem desce para 14%.