Cultura

Star Wars gera corrida aos cinemas nos Estados Unidos e Canadá

Longe vão os tempos em que ir ao cinema era a única forma de ver um filme acabado de estrear ou as primeiras imagens de uma trama algumas semanas antes de chegar às salas. A internet banalizou a divulgação de trailers, e até filmes completos, mas no próximo fim-de-semana, pelo menos espera-se, deverá haver uma corrida aos cinemas nos Estados Unidos. O culpado é a saga Star Wars.

Falta mais de um ano para a estreia do sétimo capítulo da Guerra das Estrelas – The Force Awakens –, mas soube-se esta semana, através do próprio realizador J.J. Abrams, que o primeiro trailer oficial será divulgado nas salas de cinema no próximo fim-de-semana. A ‘estreia’ é na sexta-feira, Dia de Acção de Graças, um dos feriados mais importantes dos Estados Unidos.

Não sendo isso garantia suficiente de receitas para as salas, a verdade é que já trouxe grande impacto para as redes sociais, e até algumas polémicas. Isso acaba por provar a vontade dos fãs ‘agarrarem’ todos os momentos Star Wars possíveis. É que o pequeno trailer de 88 segundos só poderá ser visto em 30 salas, de 28 cidades – 26 nos Estados Unidos e duas no Canadá (Vancouver e Toronto). E da curta lista, Só Nova Iorque e Los Angeles terão direito a duas salas diferentes.

“Star Wars deve ser visto no maior ecrã possível”, disse ao jornal USA Today Eric Geller, um fã da saga e membro de um site sobre a Guerra das Estrelas, “nunca se deve subestimar o poder de ficar excitado por ver novos conteúdos numa sala de cinema”.

Em 1998, quando foi revelado o trailer de Guerra das Estrelas - Ameaça Fantasma, vários filmes tiveram receitas inesperadas, como Conhece Joe Black?, com Brad Pitt, que terá atingido receitas de 15 milhões de dólares em três dias. Na altura, as notícias davam conta de dezenas de adolescentes impacientes nas filas para cada sessão daquele drama romântico.

O fim-de-semana que inclui o Dia de Acção de Graças é normalmente um período forte em termos de receitas de cinema. Em 2013, as receitas de cinema ultrapassaram 208 milhões de dólares (117 milhões de euros) na América do Norte.

emanuel.costa@sol.pt