Politica

Bagão preocupado com imagem do país

O conselheiro de Estado Bagão Félix mostra-se preocupado com os efeitos da detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates na imagem de Portugal. Mas, por outro lado, o ex-ministro das Finanças considera que este caso demonstra que há uma separação de poderes e que a justiça está a desempenhar o seu papel.


“Acho que esta questão se junta com outras que se têm verificado nos últimos meses e que são tristes para o nosso país, mas tem um lado positivo. A separação de poderes funciona e a justiça está a desempenhar o seu papel”, afimou hoje Bagão Félix.

Na sua primeira reacção à prisão preventiva de Sócrates, o também ex-ministro da Segurança Social deixou alguns recados, quer para o PS, quer para a maioria de direita, já que alguns deputados não se contiveram e inicialmente não esconderam o entusiasmo com este episódio. “Não podemos ter dois pesos e duas medidas, dizendo que por vezes a justiça está a funcionar quando está de acordo com aquilo que nós pensamos, e que noutros casos não está a funcionar tão bem quando não nos agrada. Devemos racionalizar a questão e não devemos pôr acima das relevantes as questões formais - como foi detido, quantas horas esteve a ser ouvido, entre outras””, comentou o antigo governante.

Depois de ter sido detido na sexta-feira à noite, no aeroporto de Lisboa, quando regressava de Paris, José Sócrates começou a ser interrogado no domingo.

O Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) decretou na segunda-feira à noite a prisão preventiva do ex-primeiro ministro José Sócrates, do seu motorista, João Perna, e do empresário Carlos Santos Silva por suspeitas de crime económicos.

sofia.rainho@sol.pt