Sociedade

Em Seia, o Pai Natal não entra na ‘Aldeia Natal’

A aldeia de Cabeça, no concelho de Seia, vai ser "Aldeia Natal", entre sábado e o dia 04 de Janeiro, dando destaque à tradição do presépio religioso e deixando de fora a figura do Pai Natal.

Pelo segundo ano consecutivo, aquela povoação da Serra da Estrela, com 190 habitantes, propõe aos visitantes um Natal "autêntico e ecológico", segundo a organização.

Durante a quadra natalícia, a aldeia está enfeitada com cenários inspirados no imaginário de Natal na montanha, na natureza, biodiversidade e respeito pelo meio ambiente.

"Depois da experiência francamente positiva do ano passado, a comunidade está empenhada na operacionalização da iniciativa, trabalhando diariamente e voluntariamente na concepção dos enfeites que vão vestir a aldeia de Natal, que este ano verá a sua área de abrangência alargada", referem os promotores.

O evento, que envolve na sua preparação pessoas com idades entre 16 e 90 anos, propõe ao público "uma viagem ao imaginário do Natal" na Serra da Estrela e uma experiência de "autenticidade".

As ruas e as casas foram enfeitadas com decorações ecológicas, como sejam grinaldas de folhas e corações concebidos com musgo e lã da Serra da Estrela.

As estrelas são confeccionadas a partir de desperdícios das florestas e a própria árvore de Natal é revestida com pinheiro natural e pinhas.

"Os habitantes desta pequena aldeia, que começaram a fazer a decoração de Natal há cerca de dois meses, são o elemento mais importante para o projeto e para o sucesso da iniciativa", disse hoje à agência Lusa Ricardo Mendes, representante da comunidade local no evento promovido pela Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede de Aldeias de Montanha (ADIRAM), em estreita parceria com o município de Seia.

A "Aldeia Natal" terá animação de rua e contará com a presença de cerca de quarenta expositores de venda de artesanato e de produtos locais e regionais, segundo o responsável.

Em 2013, de acordo com uma estimativa da organização, a aldeia de Cabeça foi visitada por cerca de 15 mil pessoas e, este ano, Ricardo Mendes prevê que o número seja superado, uma vez que o projecto foi integrado no plano de animação da ADIRAM.

O projecto é financiado pelo Plano de Animação e Comunicação Buy Nature, apoiado pelo FEDER, no âmbito do Programa Operacional Regional do Centro.

Lusa/SOL