Politica

Congresso PS: João Soares chegou de táxi e ouviu hesitações do motorista

João Soares é uma das vozes do PS que mais tem levantado a sua voz na defesa de José Sócrates, preso preventivamente esta segunda-feira por suspeitas de branqueamento de capitais, fraude fiscal qualificada e corrupção. À entrada do XX Congresso Nacional do PS, que começou hoje em Lisboa, João Soares admitiu que existe "muito trabalho a fazer" para que as suspeitas que recaem sobre o ex-primeiro-ministro socialista não atrapalhem o ciclo eleitoral que se aproxima, nomeadamente as legislativas do próximo ano. 

Soares chegou de táxi à Feira Internacional de Lisboa. Na viagem que o trouxe até ao palco da reunião magna do PS, o ex-autarca de Lisboa ouviu as "hesitações" do motorista, alguém que "sempre votou PS". Para o socialista esta é uma "dificuldade" que o partido vai "ultrapassar, bastando que para isso a nova liderança do PS saiba "olhar para a frente sem deixar cair o que está para trás". 

Questionando sobre as opções de António Costa, que pediu aos militantes para que deixem na rua a detenção de José Sócrates de forma a não contaminar o Congresso, Soares foi cauteloso e frisou que qualquer que seja a opção do novo líder do PS "é legítima". E acrescentou, sem que tenha sido pedido: "António Costa e António José Seguro, o anterior líder, pesam sobre a sua própria cabeça". 

ricardo.rego@sol.pt