Vida

Óbidos aposta na magia para atrair milhares à Vila Natal

Três horas depois de abrir portas, a Vila Natal já tinha atraído hoje a Óbidos milhares de visitantes ansiosos por viverem a 'magia' dos espectáculos, diversões e até da transformação de lixo em produtos inovadores.

Vila Natal Óbidos PAULO CUNHA/LUSA
PAULO CUNHA/LUSA
PAULO CUNHA/LUSA
PAULO CUNHA/LUSA
PAULO CUNHA/LUSA
PAULO CUNHA/LUSA
PAULO CUNHA/LUSA
PAULO CUNHA/LUSA

Numa velha adega transformada em livraria, a "rapariga do gorro amarelo" subiu ao placo para protagonizar o lançamento do "Kit para fazedores", o primeiro de cinco novo produtos criados para simbolizar a "Magia da transformação".A história, contada por Patrícia Ferro, dava a conhecer ao público como uma velha garrafa de lixivia, resgatada do lixo, pode ser transformada num candeeiro reciclado e que, até 04 de Janeiro, será vendida no Óbidos Vila Natal, como uma das peças de colecção criadas especialmente para o evento.

Para os mais pequenos, à mesma hora, a maior magia começava no interior das muralhas, com a abertura da míni-roda gigante, da pista de gelo, do carrossel e de todos os divertimentos disponibilizados pela organização, a empresa municipal Óbidos Criativa.

Depois de uma hora de espera na fila, Miguel, de 6 anos e natural de Albufeira, sentava-se ao colo do Pai Natal, para "pedir brinquedos".

Rodrigo Vicente, o estudante de Teatro que por estes dias se transforma em Pai Natal, já perdeu a conta ao número de crianças que, ao longo de toda, a manhã garantiram que "não houve birras" e, por isso, acreditam ter direito às "bonecas, carrinhos telecomandados, consolas e legos" que encabeçam a lista dos pedidos.

Para outros, a atracção é o labirinto de luzes que leva os mais novos a seguir o exemplo de uma rena florescente e a enfrentar "o perigo dos bosques" que leva à descoberta das prendas.

Às primas Valéria, Catarina e Ana Luísa, interessava mais "o espectáculo de marionetas" e a aventura de uma viagem na mini roda gigante que se tornou ainda mais aliciante quando, "a roda encravou" e ficaram lá em cima.

Outros, ainda, como um grupo de 106 estudantes de Erasmus, vindos de vários países do mundo, iam "tirando ideias para o curso de organização de eventos".

Por detrás da 'magia', que a autarquia espera que até ao final do evento atraia cerca de 200 mil visitantes, estão muitos meses de trabalho para produzir o evento que, mesmo antes de abrir portas, já tinha vendido online "cerca de 20%" do total da bilheteira esperada", disse à Lusa o presidente da câmara, Humberto Marques.

O impacto do evento que enche de gente cafés, restaurantes e lojas de toda a vila estende-se a "uma ocupação próxima dos 100% da hotelaria da vila e da região", que beneficia cada vez mais "de famílias que aproveitam para passar dois ou três dias e conhecer a zona", acrescentou.

Tanto mais que o programa do evento assenta este ano "numa estratégia de alargar as iniciativas para fora do perímetro muralhado" e levar os turistas a conhecer "outros patrimónios materiais e imateriais do concelho", que recebem espectáculos como o Rastilho de Luz (espectáculo comunitário, na freguesia da Usseira) ou uma exposição de 1.200 presépios, que esta tarde será inaugurada na freguesia de Gaeiras.

Atractivos que levam a autarquia a "não temer" e até "saudar" outros eventos ligados ao Natal a decorrer em Lisboa ou noutros concelhos da região.

"Numa lógica de turismo regional, este aumento de possibilidades de eventos a visitar pode contribuir para transformar os visitantes de um dia em turistas que ficam vários dias em Óbidos", sustentou Humberto Marques, apostado agora na "internacionalização do evento, para que atraia cada vez mais turistas brasileiros franceses e alemães".

Lusa/SOL