Economia

“Nunca fui o dono disto tudo”

O antigo presidente do BES rejeitou que alguma vez tivesse sido o Dono Disto Tudo - uma expressão com que era classificado em alguns círculos financeiros e políticos na última década.

"Nunca fui nem pensei ser ‘o dono disto tudo’. A designação ‘dono disto tudo’ é irrisória, bem como outras designações de poderosos. O ‘dono disto tudo’ é o povo português, de quem os senhores deputados são representantes. Isso foi uma caracterização que me foi colada, para certamente me prejudicar no futuro.”

Salgado respondia à deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua, que considerou "estranho que o ‘dono disto tudo’ (DDT) apareça aqui hoje como a vítima disto tudo”. Em intervenções anteriores, Salgado tinha defendido a gestão do BES no período em que presidiu o banco.

“Estou de consciência tranquila quanto a gestão do banco. Tenho uma carga pesadíssima sobre mim devido ao colapso do banco, há responsabilidades do nosso lado, mas há responsabilidades de muitas outras entidades”, afirmou.

Salgado rejeitou, contudo, que estivesse a colocar-se numa posição de vítima. “A minha responsabilização será apurada por via judicial, nos tribunais. Acredito que o que fiz sempre no BES foi defender o interesse dos clientes, dentro de uma envolvente política e financeira extremamente complexa”, frisou.

joao.madeira@sol.pt

sandra.a.simoes@sol.pt