Internacional

Computadores e 'tablets' cada vez mais populares na Coreia do Norte

As vendas de computadores portáteis e 'tablets' dispararam, nos últimos anos, na Coreia do Norte, segundo dados sobre as importações norte-coreanas recolhidos hoje pelo portal especializado no país NK News.

As importações de computadores portáveis na Coreia do Norte quintuplicaram entre 2009 e 2014, alcançando os 20 milhões de dólares (16 milhões de euros), enquanto a importação de 'tablets' aumentou de zero para 1,2 milhões de dólares (96 mil euros) no último ano.

Os números, extraídos dos registos de exportações da China, mostram que a popularidade dos 'tablets' e portáveis "tem aumentado lentamente" nos últimos anos, segundo o especialista do portal NK News, Martyn Williams.

Todos estes dispositivos informáticos foram fabricados na China, incluindo os da marca norte-coreana Samjiyon, diz Williams.

"A Coreia do Norte não tem capacidade tecnológica para desenhar 'tablets' e produzir os seus componentes electrónicos", assinala o especialista no regime norte-coreano.

Os computadores portáveis e 'tablets' vendem-se a preços entre 100 e 200 dólares (80 e 160 euros) em muitos estabelecimentos de Pyongyang, fazendo com que estejam ao alcance das classes médias e altas da capital, segundos relatou um desertor norte-coreano ao mesmo portal.

Anteriormente só era possível obter estes produtos através do mercado negro.

Ainda assim, estes bens continuam a ser inacessíveis para a maioria dos cidadãos do país, onde são escassas as ligações à Internet e a maioria é restrita às páginas locais.

Lusa/SOL