Sociedade

Canadá: Portugueses juntam-se para salvar jovem de 20 anos

A comunidade portuguesa residente na província do Ontário, sul do Canadá, está a mobilizar-se para ajudar um luso-descendente a conseguir um transplante de células estaminais, disseram à Lusa a mãe e amigos da família.


"A comunidade portuguesa de Kitchener e cidades vizinhas está a ajudar bastante, inclusive nos vários locais onde têm sido feitos os testes de compatibilidade, a afluência foi tanta que os 'kits' de teste esgotaram", disse à Lusa Cristina Walker, amiga da família.

 

John Divo, de 20 anos, necessita urgentemente de um transplante de células estaminais que, segundo os médicos, deverá ser efectuada até Janeiro de 2015.

 

A doença, uma leucemia de linfóide aguda (LLA), foi-lhe diagnosticada em Dezembro de 2013 na sequência de uma avaliação efectuada pelos serviços médicos do clube de hóquei no gelo que o jovem luso-descendente representa.

 

A mãe, Fátima Rapinha, emigrante proveniente do Pico, nos Açores, explicou que com o tratamento de quimioterapia, John Divo estava a recuperar, mas no passado dia 13 de Novembro "foram-lhe detectadas células cancerígenas no sistema central nervoso", um diagnóstico que piorou o quadro clínico e que motivou a onda de solidariedade em prol de um transplante de células estaminais.

 

"Agora é urgente transfusão de células estaminais que os médicos aconselham que deve ser feita até Janeiro de 2015. Os dadores devem ter entre 17 a 35 anos de idade, e o teste é simples: é através de um aparelho que analisa a compatibilidade através da saliva", acrescentou.

 

John Divo, que já esteve presente em alguns locais onde se efectuaram testes para divulgar a sua situação e sensibilizar para a realização de testes, está a receber tratamento em dois centros na luta contra o cancro, o Juravinski Cancer Center, em Hamilton, e no Grand River Cancer Center, em Kitchener, onde reside.

 

O luso-descendente iniciou no passado dia 09 o tratamento de radioterapia, que deverá ficar concluído na véspera do Natal.

 

Fátima Rapinha, há 42 anos no Canadá, também lançou o repto para todos aqueles que possam ajudar não só o filho "mas todos aqueles que têm o mesmo problema". Se não for encontrado um doador compatível a 100%, a dávida por parte do pai ou da mãe será a solução alternativa, mas tratando-se dos progenitores a compatibilidade fica-se apenas pelos 50%.   

 

O potenciais dadores podem registar-se no Serviço de Sangue Canadiano, através do programa OneMach, ou nas entidades de saúde dos respectivos países, designadamente Cruz Vermelha.

 

A LLA, também conhecida como leucemia linfoblástica aguda, é um cancro das células brancas (leucócitos) do sangue caracterizado pela produção maligna de linfócitos imaturos (linfoblastos) na medula óssea.

 

A doença, que pode atingir tanto adultos como crianças, progride com grande rapidez requerendo tratamento urgente.

 

A próxima acção de sensibilização de dadores será feita nesta segunda-feira em Baden, arredores de Kitchener, na igreja Steinmann Mennonite.

 

Kitchener é uma cidade canadiana localizada no sudoeste da província do Ontário, 100 quilómetros a oeste de Toronto. Calcula-se que existam cerca de 550 mil portugueses e luso-descendentes no Canadá estando a grande maioria localizada na província do Ontário.

Lusa/SOL

Os comentários estão desactivados.