Economia

Isabel dos Santos retira OPA sobre PT SGPS

A empresária Isabel dos Santos decidiu retirar a Oferta Pública de Aquisição sobre a PT SGPS. 

A decisão surge no seguimento do comunicado do regulador de mercado (CMVM) que obrigava a empresária a aumentar o valor da oferta caso quisesse registar a operação.

A Terra Peregrin, sociedade de Isabel dos Santos que lançou a OPA, ofereceu 1,35 euros por acção, totalizando cerca de 1,2 mil milhões de euros. Mas segundo a deliberação da CMVM teria que aumentar o valor para a média ponderada dos últimos seis meses.

A CMVM não aceitou os argumentos apresentados por Isabel dos Santos no anúncio preliminar da OPA para justificar os 1,35 euros por acção. A empresária alegava  que a situação da PT SGPS se tinha alterado e, por isso, não deveria ser tido em conta a média ponderada dos últimos seis meses.

Hoje, em comunicado enviado à CMVM, a empresa de Isabel dos Santos anunciou que “uma vez que a decisão da CMVM de não deferimento do pedido de derrogação implica a não verificação de uma condição de lançamento da Oferta, a Oferente, decide, após cuidada ponderação, retirar a Oferta”.

A Terra Peregrin sublinha ainda que “a presente Oferta nunca pretendeu ser hostil e que fez todos os esforços ao seu alcance para a fazer chegar ao mercado”.

Para a empresária angolana, o facto de vários eventos, como o não cumprimento do reembolso da dívida da Rioforte, “seriam suficientes para fundamentar o afastamento do critério do preço médio ponderado ou, caso assim não se entendesse, para que, nos termos e para os efeitos do disposto no n.º 2 do artigo 188.º do Cód.VM, fosse designado um auditor independente para a fixação da contrapartida da Oferta, considerando os acontecimentos excepcionais que afectaram a cotação das acções da PT SGPS”.

sara.ribeiro@sol.pt