Vida

Ex-actor pornográfico condenado por desmembrar aluna chinesa

O ex-actor pornográfico Luka Magnotta foi considerado culpado, esta terça-feira, pelo homicídio e desmembramento de uma estudante chinesa, avança a Reuters.


O canadiano de 32 anos confessou ter morto Jun Linn, uma estudante de engenharia de 33 anos.

O caso remonta a 2012, quando várias partes do corpo da vítima foram encontradas num caixote do lixo numa apartamento em Montreal e em pacotes enviados a sedes de partidos políticos em Otava e a escolas em Vancouver.

Para além de membros envoltos em lenços de papel cor-de-rosa, as caixas continham poemas e notas redigidas pelo assassino.

Magnotta foi ainda considerado culpado de profanação de cadáver, e de publicação e distribuição de material obsceno – o ex-actor filmou o assassinato e publicou-o na internet – e de ter ameaçado o primeiro-ministro canadiano, Stephen Harper, e outros membros do parlamento.

Seis meses antes do homicídio, Magnotta tinha enviado um email a um jornalista britânico, afirmando que planeava matar uma pessoa e fazer um filme sobre o crime.

Depois do homicídio, Magnotta fugiu para a Europa mas foi detido num café em Berlim. É agora condenado a prisão perpétua.  

Os comentários estão desactivados.