Internacional

Indonésia inicia homenagem às vítimas do tsunami

Milhares de pessoas participaram na Indonésia numa homenagem às vítimas do tsunami que há dez anos causou 230.000 mortos no oceano Índico, no arranque das cerimónias que decorrem em toda a região. 

Familiares das vítimas e sobreviventes reuniram-se numa oração na mesquita de Baiturrahman, em Banda Aceh, capital da região de Aceh, no norte da ilha de Samatra, a zona mais afectada com cerca de 170.000 mortos.

O edifício religioso foi um dos poucos que se manteve de pé e serviu como refúgio para alojar pessoas nos dias posteriores ao desastre natural, provocado por um terramoto de 9,1 graus.

O governador de Aceh, Zaini Abdullah, deu as graças aos participantes, tanto locais como estrangeiros, à sua chegada ao recinto da mesquita.

"O tsunami causou uma profunda dor ao povo de Aceh pela perda de entes queridos (...) A simpatia dos indonésias e da comunidade internacional ajudou (Aceh) a recuperar", disse Zaini, segundo o diário "Kompas".

As cerimónias que assinalam os dez anos do tsunami em Aceh incluem exposições fotográficas no Museu do Tsunami e mostras de artesanato, e terminam no sábado com uma corrida de dez quilómetros ao longo das zonas que mais sofreram o embate das ondas.

O tsunami também vai ser recordado noutros dos 14 países em que o desastre natural causou vítimas mortais, como na Tailândia.

Em Khao Lak, popular destino turístico da Tailândia, o décimo aniversário do tsunami vai ser assinalado com leitura de poesia, velas e orações em homenagem aos mortos.

O tsunami causou cerca de 5.400 mortos e 2.800 desaparecidos na Tailândia, a maioria turistas estrangeiros que ali passavam as férias de Natal. 

Outras cerimónias serão assinaladas na Índia e Sri Lanka, que juntamente com a Indonésia e Tailândia, foram os mais afectados em número de mortos.

Lusa/SOL