Cultura

Novo policial de J.K. Rowling chega este mês às livrarias portuguesas

O novo livro de Robert Galbraith, pseudónimo da autora da saga de Harry Potter, de J.K. Rowling, "O bicho-da-seda", é publicado no dia 20, sendo novamente protagonizado pelo detective Cormoran Strike, anunciou a editora portuguesa.

O "corpulento" Cormoran Strike, um veterano do Afeganistão, surgiu no primeiro policial deste autor, "Quando o cuco chama", publicado também pela Editorial Presença, em 2013.

Fonte editorial disse à Lusa que "Quando o cuco chama" foi "uma das mais bem sucedidas obras do género policial publicadas em Portugal naquele ano".

"A imprensa britânica, nomeadamente o jornal The Guardian, já comparou Galbraith à 'época de ouro de Agatha Christie', e a BBC já decidiu adaptar 'Quando o cuco chama' para televisão", disse a mesma fonte.

"Quando o cuco chama" recebeu críticas favoráveis da imprensa, mas, como revelou a revista Time, só ultrapassou os 1.500 exemplares vendidos depois de ter sido revelado que Robert Galbraith era realmente J.K. Rowling, criadora de Harry Potter e do romance "Uma morte súbita", já adaptado a série de televisão pela BBC e pela produtora norte-americana HBO, a exibir no próximo mês de Fevereiro.

"'Quando o cuco chama' lembra-me dos motivos por que me apaixonei pela literatura policial", escreveu na imprensa britânica a autora de romances policiais Val McDermid, enquanto o Sunday Mirror afirmou que era "um policial absorvente e bem arquitetado", classificando-o como "excelente".

"Um romance bem conseguido que, sem dúvida, merece todo o sucesso", afirmou, por seu turno, o Financial Times.

Em "Quando o cuco chama", Strike investiga o suicídio suspeito de uma bela e famosa jovem modelo, Lula Landry.

Neste novo romance policial, "O bicho-da-seda", o corpulento Strike é contratado pela mulher de um escritor, Owen Quine, para investigar o seu desaparecimento.

"No decorrer da investigação, torna-se claro que o desaparecimento do escritor esconde algo mais. Quine tinha acabado de escrever um romance, no qual caracterizava de forma perversa quase todas as pessoas que conhecia. Se o livro fosse publicado iria certamente arruinar algumas vidas - pelo que haveria várias pessoas interessadas em silenciá-lo", adiantou à Lusa a mesma fonte.

Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias estranhas, iniciando-se então "uma corrida contra o tempo para [se] tentar perceber a motivação do cruel assassino, um assassino diferente de todos aqueles com quem Strike se tinha cruzado". Nesta investigação Strike é coadjuvado pela sua jovem e determinada assistente, Robin Ellacott.

Segundo a Editorial Presença, trata-se de "um policial de leitura compulsiva, com um enredo que não dá tréguas ao leitor".

J.K. Rowling nasceu há 49 anos, em Yate, no condado inglês de Gloucestershire e estudou na Universidade de Exeter. Com a saga de Harry Potter, iniciada em 1997 com "Harry Potter e a pedra filosofal", vendeu mais de 450 milhões de livros, tendo os seus sete títulos sido traduzidos para 64 línguas, segundo a revista Time.

Entre outras obras, publicou também "O Quidditch através dos tempos", " Os contos de Beedle, o bardo", que foram adaptadas ao cinema ou à televisão.

Lusa/SOL