Internacional

Indonésia executa seis pessoas por tráfico de droga

Seis pessoas, incluindo cinco estrangeiros, foram executados, este sábado, na Indonésia por tráfico de droga.

As execuções foram anunciadas na quinta-feira pelo procurador-geral indonésio Muhammad Prasetyo, depois do presidente ter rejeitado os pedidos de clemência.

Dois dos fuzilados eram mulheres e os cidadãos estrangeiros eram do Brasil, Holanda, Vietname, Malawi e Nigéria. Todos foram executados por um pelotão de fuzilamento.

Segundo o embaixador brasileiro em Jacarta, citado pela CNN, Marco Archer Cardoso Moreira é o primeiro cidadão brasileiro a ser executado legalmente.

O instrutor de voo livre de 53 anos, foi apanhado com mais de dez quilos de cocaína nos tubos de uma asa delta, em 2003. Foi preso e um ano depois, foi condenado à morte.  

Na sexta-feira, a presidente do Brasil Dilma Rousseff apelou por telefone clemência com o homólogo indonésio mas em vão. Já em 2006, o então presidente Lula da Silva tinha feito o mesmo.

Segundo o jornal Público, a Indonésia tem agendada para este ano 20 execuções de pessoas condenadas por crimes de tráfico de droga. Entre eles está um segundo brasileiro, Rodrigo Muxfeldt Gularte que foi detido em 2004 com seis quilos de cocaína dentro de uma prancha de surf. O fuzilamento deste homem, de 42 anos, está marcado para Fevereiro, e um pedido de clemência também já foi rejeitado.