Economia

2014 foi o melhor ano de sempre para o Turismo em Portugal

O secretário de Estado do Turismo congratula-se com os dados de Novembro do turismo hoje conhecidos, destacando que confirmam 2014 como "o melhor ano de sempre" do sector e traduzem um crescimento das dormidas três vezes superior a Espanha.

"Os dados hoje revelados pelo INE [Instituto Nacional de Estatística] confirmam que 2014 foi o melhor ano de sempre do turismo em Portugal, com crescimentos superiores a 10% face ao ano recorde, quer se considere o número de dormidas, o número de hóspedes ou os proveitos da hotelaria. E confirmam que estamos a crescer mais do triplo de Espanha em termos de dormidas", afirmou Adolfo Mesquita Nunes à agência Lusa, numa declaração escrita.

Salientando que "nenhum destino turístico se constrói em três anos", o governante reiterou que estes resultados demonstram que "há muita gente a fazer muita coisa muito bem-feita há muitos anos, das empresas aos seus trabalhadores, das escolas de hotelaria aos seus alunos, das regiões e autarquias às suas populações, dos vários governos, deste e do anterior".

"Se tiver de escolher um responsável, um protagonista, seria o sector privado, individualmente ou nas agências de promoção turística, que, com empenho, capacidade de empreender e de inovar, dão cartas no turismo mundial", afirmou Mesquita Nunes.

As dormidas na hotelaria em Portugal mantiveram em Novembro de 2014 um crescimento homólogo de dois dígitos, aumentando 11,4% para 2,4 milhões, mas com uma ligeira desaceleração, sobretudo no mercado interno, divulgou hoje o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), para a desaceleração de 2,5 pontos percentuais face à taxa observada no mês precedente contribuiu quer o mercado interno, que cresceu 5,9%, menos que no mês anterior (+12,5%), quer, em menor grau, os mercados externos, que passaram de um crescimento de 14,4% em Outubro para 13,9% em Novembro.

Entre os principais mercados emissores, destaque para os crescimentos registados pela Bélgica (+57,1%), França (+37,7%), Brasil (+21,1%) e Irlanda (+20,8%), tendo Espanha sido a excepção, ao recuar 9,0%.

A estada média na hotelaria em Novembro foi 2,53 noites (+2,3%) e a taxa líquida de ocupação-cama 29,1% (+1,9 p.p.), tendo os proveitos totais aumentado 15,8% e os de aposento 14,7%, em linha com o mês anterior (+15,2% e +16,3%), para 113,4 e 75,3 milhões de euros, respectivamente.

De acordo com o INE, no mês em análise o RevPAR (rendimento por quarto disponível) foi 20,4 euros (+10,3% em Novembro e +11,6% em Outubro).

Em Novembro de 2014, os estabelecimentos hoteleiros registaram 929,3 mil hóspedes e 2,4 milhões de dormidas, o que representa aumentos homólogos de 8,8% e 11,4%, respectivamente, abaixo dos 14,0% e 13,9% de Outubro.

Lusa/SOL