Economia

Fim da fusão PT/Oi levaria a um "avultado aumento de capital"

Caso haja reversão da venda da PT Portugal pode ser necessário realizar um "avultado aumento de capital", disse o presidente executivo da PT SGPS, Mello Franco, no arranque da assembleia-geral que está a decorrer em Picoas.

Mello Franco adiantou que "atendendo ao elevado nível de endividamento da PT Portugal, se porventura a PT SGPS pudesse simplesmente 'retomar' teria que refinanciar a sua dívida (actualmente com garantia da Oi) e recompor a sua estrutura de capitais, para o que necessitaria provavelmente de promover um avultado aumento de capital".

Uma operação "diluitivo para os accionistas que não tenham capacidade ou vontade de o acompanhar", disse o CEO da PT SGPS aos accionistas.

Depois do discurso do substituto de Henrique Granadeiro foi a vez do CEO da Oi discursar. Bayard Gontijo aproveitou para elencar novamente as razões da venda da PT Portugal à Altice.

O período de esclarecimentos por parte dos accionistas, que se prevê demorado tendo em conta os vários pedidos entregues ao presidente da mesa, Menezes Cordeiro, ainda está a decorrer.

A AG contam com pouco mais de 44% do capital social presente, um número inferior aos 50% registados na reunião de 12 de Janeiro. Recorde-se que a mesma foi suspensa.

sara.ribeiro@sol.pt