Economia

Saiba qual a nota mais contrafeita em Portugal e como detectar as falsificações

Foram detectadas e retiradas de circulação 9.520 notas falsificadas em Portugal em 2014. Banco de Portugal alerta: Se aceitou uma nota falsa não poderá recuperar o seu valor.


De acordo com os dados divulgados pelo supervisor bancário, o número de apreensões diminuiu 39% quando comparado com as 15.171 notas contrafeitas em 2013.

No total, as 9.520 notas falsificadas equivalem a 348.535 euros apreendidos de Janeiro a Dezembro de 2014. No entanto, este “número de contrafacções apreendidas é extremamente reduzido em comparação com as notas genuínas em circulação”, refere o comunicado do regulador bancário.

Nota de 20 euros em destaque 

Segundo as mesmas estatísticas, a preferência dos falsificadores recai na nota de 20 euros. 

“A denominação mais contrafeita foi a de 20 euros, representando 51,4% das notas apreendidas”, diz o Banco de Portugal, acrescentando que esta é uma tendência também registada nos países da Zona Euro.

Foram apreendidas 4.755 notas de 20 euros, equivalente a 95.100 euros. No pódio das notas mais falsificadas seguem-se as de 50 euros (2.888 notas, equivalentes a 144.000 euros) e as de 10 euros (946 notas, correspondentes a 9.460 euros). 

Por sua vez, as notas de 500, de 5, de 200 e de 100 euros são as menos contrafeitas.

“Toque – Observe – Incline”

A metodologia denominada de “Tocar – Observar – Inclinar” é a mais adequada para detectar as falsificações sem a utilização de equipamentos auxiliares. Basta recorrer a “uma observação cuidada dos elementos de segurança destinados ao público”, refere o Banco de Portugal. 

“Uma nota contrafeita não pode ser trocada por uma nota genuína.” Assim, se aceitou uma nota contrafeita como se de uma nota autêntica se tratasse não poderá recuperar o seu valor. “Por esta razão, é importante saber reconhecer a autenticidade das notas no momento em que são recebidas”, explica. 

O Banco de Portugal recomenda:

- Verificar a existência e o comportamento dos elementos de segurança, baseando-se em três procedimentos básicos de autenticação (metodologia “Tocar – Observar – Inclinar”);

- Compará-la com uma nota da mesma denominação que tenha a certeza de ser genuína.

Para avaliar a genuinidade da nota não se baseie apenas na verificação de um dos seus elementos de segurança: analise vários elementos de segurança da nota. “Se, mesmo assim, tiver dúvidas acerca da autenticidade da nota, deverá apresentá-la numa das tesourarias do Banco de Portugal ou numa agência de uma instituição de crédito, onde lhe serão prestados todos os esclarecimentos.”

E se receber uma nota falsificada?

Se receber em pagamento ou troco uma nota que suspeite ser contrafeita deve:

- Reter todos os dados relativos à pessoa que lhe entregou a nota falsificada ou suspeita de contrafacção, bem como as circunstâncias em que essa transmissão ocorreu. “Estas informações são muito importantes para a intervenção das entidades policiais.”

- Dirigir-se à Polícia Judiciária, ao Banco de Portugal ou a qualquer instituição de crédito;

- Relatar as circunstâncias em que a nota lhe foi entregue.

sandra.a.simoes@sol.pt