Internacional

Refém japonês executado pelo EI. Japão diz que 'não se verga' perante o terrorismo

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse este sábado que Tóquio "não se verga perante os terroristas", após a difusão de uma mensagem em que um dos reféns japoneses do grupo Estado Islâmico afirma que o companheiro de cativeiro foi executado.


"O Japão vai contribuir na luta da comunidade internacional a favor da paz e contra o terrorismo", acrescentou Abe no final de uma reunião de emergência do governo de Tóquio e que foi convocada logo após a difusão da gravação.

No registo áudio difundido através da rede social Twitter por simpatizantes do Estado Islâmico (ISIS na sigla em inglês), o jornalista japonês Kenji Goto, refém dos extremistas, afirma que o companheiro de cárcere foi executado.

* com Lusa