Economia

Fernando Negrão: Comissão do BES 'não vai prescindir da audição de ninguém'

O presidente da comissão de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo (GES) realçou hoje que a comissão "não vai prescindir da audição de ninguém", pelo menos até serem descortinadas algumas conclusões.

"Esta comissão não vai prescindir da audição de ninguém. Todas as pessoas indicadas terão a sua oportunidade", sublinhou Fernando Negrão, parlamentar do PSD que preside à comissão de inquérito.

O deputado e presidente da comissão lembrou, contudo, que os trabalhos têm "um prazo" e "a determinada altura" e quando estiver traçado "um cenário dos factos o mais aproximado possível tal qual eles terão acontecido" pode suceder que algumas audições não se concretizem.

Negrão falava no arranque da audição de hoje da comissão, sendo ouvida no parlamento Inês Viegas, responsável da auditora KPMG.

A comissão de inquérito arrancou a 17 de Novembro passado e tem um prazo total de 120 dias, que pode eventualmente ser alargado.

Os trabalhos dos parlamentares têm por intuito "apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos e as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo do GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades".

Lusa/SOL