Vida

5 coisas que podem arruinar a sua vida sexual

Assuma uma coisa: a relação sexual é algo demasiado importante na sua vida para ser ignorada.

Muitos casais, tanto os que estão juntos há vários anos como aqueles que se encontram no início da relação e, até mesmo, aqueles que só têm relações sexuais ocasionais, acabam por ter atitudes que estragam a vida sexual. 

Ter a melhor relação sexual possível está nas suas mãos. Assim como a possibilidade de a estragar. O psicólogo e especialista em sexualidade, Cory Silverberg, apontou alguns dos erros mais típicos que as pessoas cometem duranto o acto sexual:

1. Comparar-se aos outros

A sexualidade é das coisas mais subjectivas do ser humano, portanto pare de se comparar a outros. Ninguém ganha com isso e só faz com que se sinta mal. Quer ter uma boa vida sexual? Concentre-se naquilo que deseja.

2. Não esquecer o seu corpo

Pare de pensar se está demasiado gorda ou demasiado magra. Ou se fez a depilação quando devia. Os corpos perfeitos só aparecem nos filmes, não são reais.

Se estiver demasiado concentrada no seu corpo, acaba por não retirar todo o prazer que pode de uma relação sexual. Relaxe e deixe as coisas acontecerem.

3. Deixar de prestar atenção

O nosso corpo está em constante mutação, logo o mesmo acontece com a nossa sexualidade. Aquilo que nos dava prazer aos 20 anos pode ser completamente diferente aos 30. Dê ouvidos ao seu corpo e adapte-se às mudanças.

4. Tornar-se algo sério

À medida que os anos passam, a maioria das coisas na nossa vida tornam-se mais sérias: começa a trabalhar, ter filhos, maior número de responsabilidades, etc. Não deixe que aconteça o mesmo com a sua relação sexual. Não deixe que a rotina e a idade a afectem. Caso contrário, vai perder toda a magia e bem estar que sente durante o sexo.

5. Ter uma mente fechada

Ser daquelas pessoas que tem o mesmo tipo de relaçao sexual há anos só o prejudica. Seja criativo e pense em maneiras de ‘apimentar’ a sua relação sexual. Lembre-se que o sexo não tem de (nem deve) ser algo básico.

Para mais dicas, consulte o artigo de Cory Silverbeg.