Internacional

Tsipras telefonou a Draghi, Dijsselbloem e Schulz para reduzir tensão

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, telefonou a vários dirigentes europeus para reiterar que não pretende tomar medidas unilaterais em relação ao pagamento da dívida grega, informaram fontes governamentais citadas pelos 'media' gregos. 

O primeiro-ministro e líder do Syriza, eleito no domingo, falou com o presidente do Banco Central Europeu (BCE), o italiano Mario Draghi, e este assegurou-lhe, segundo as fontes, que "há um bom clima na Europa" relativamente aos esforços para encontrar uma solução aceitável tanto para a Grécia como para a Europa.

Tsipras falou também com o presidente do Eurogrupo, o holandês Joren Djisselbloem, que na sexta-feira esteve em Atenas e se mostrou incomodado com as afirmações do ministro das Finanças grego, Yanis Varoukakis, de que não reconhece a 'troika' como interlocutora válida.

Na conversa com Djisselbloem, Tsipras afirmou que pretende continuar as negociações com os credores, segundo as fontes.

O primeiro-ministro grego falou ainda com o presidente do Parlamento Europeu (PE), o alemão Martin Schulz, que também já visitou Atenas depois da vitória do Syriza.

Schulz falou-lhe do jantar de sexta-feira em Estrasburgo com a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande, e disse-lhe que o clima na Europa não é hostil à Grécia e que os parceiros europeus de Tsipras aguardam as suas propostas.

A imprensa grega noticia hoje que o primeiro-ministro grego se vai reunir na quarta-feira com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em Bruxelas, depois do encontro previsto com o presidente francês, François Hollande, no mesmo dia em Paris, e um dia depois de se reunir com o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, na terça-feira em Roma.

Lusa/SOL