Economia

BCP reduz prejuízo de 740 para 218 milhões de euros

O Millennium bcp apresentou hoje os resultados de 2014. A instituição liderada por Nuno Amado registou prejuízos de 217,9 milhões de euros, uma clara melhoria em relação às perdas de 740,5 milhões de euros obtidas em 2013. 

Estes resultados reflectem “a evolução favorável da rendibilidade da actividade em Portugal e o aumento do contributo das operações internacionais, em linha com as tendências projectadas no Plano Estratégico”, lê-se na apresentação de resultados.

O reembolso antecipado do empréstimo concedido pelo Estado, a redução dos custos dos depósitos, os ganhos com títulos de dívida pública portuguesa no valor de 319 milhões de euros e a venda de participações financeiras influenciaram positivamente os resultados do ano passado, apesar do reforço contínuo de imparidades e provisões. 

A penalizar as contas continua o reforço de imparidades para riscos de crédito.

“O contexto desfavorável associado a taxas de juro em níveis historicamente baixos, por um lado, e a retracção na procura de crédito, com consequente impacto no volume de negócios, por outro, penalizou a evolução da margem financeira, apesar da continuada promoção de iniciativas comerciais de apoio a planos de negócios sustentáveis.”

BCP pagou 2.250 milhões ao Estado em 2014

O BCP coloca ênfase na antecipação das principais metas do acordo com a Direcção-geral da Concorrência e do plano estratégico, com reembolso de 2.250 milhões de euros CoCos ao Estado em 2014. Restam apenas 750 milhões de euros exposição ao Estado, face a um montante inicial de 9 mil milhões de euros (CoCos e garantias).

Recorde-se que os CoCos são instrumentos de dívida que podem ser convertidos em acções caso determinados eventos aconteçam.

Em linha com o plano delineado, o BCP diminui a factura com os custos em 11%. Em Portugal, os custos operacionais caíram 5,9%, “nomeadamente a diminuição do número de colaboradores e de sucursais e a redução salarial concretizada no terceiro trimestre de 2014”. Nas operações internacionais, os custos reduziram-se em 3,9%.

O número total de colaboradores em Portugal diminui de 8.584 para 7.795, menos 789 face ao final de 2013. Além da dispensa de funcionários, o BCP implementou medidas temporárias de redução salarial. No estrangeiro, o BCP perdeu 231 colaboradores durante 2014. 

O Millennium encerrou mais agências no estrangeiro do que no território nacional. Em Portugal, o banco fechou 79 balcões e tem agora 695. Na actividade internacional, o número de sucursais desceu de 10.076 para 9.845, menos 231.

Menos crédito para particulares e empresas

A carteira de crédito do Millennium bcp em Portugal reduziu-se em 7%, reflectindo a contracção do crédito a particulares e a empresas, influenciado pela menor procura de crédito. O rácio de crédito com incumprimento aumentou para 9,6% do total.

Em Portugal, os recursos totais de clientes decresceram 0,5%, enquanto nas actividades internacionais aumentaram 4,5%.

Já em Janeiro de 2015, a apresentação de resultados dá conta da concessão de novos empréstimos ao Millennium bcp, no montante de 300 milhões de euros, pelo Banco Europeu de Investimento para financiar projectos de investimento de PME e ‘mid-caps’. 

Destaca também a assinatura de um empréstimo entre o Fundo Europeu de Investimento e o Millennium bcp com o objectivo de apoiar mais de 800 microempresas em Portugal.

sandra.a.simoes@sol.pt