Internacional

Argentina: Procurador morto estava a redigir mandado de detenção da Presidente

Foi encontrado esta quinta-feira um rascunho de um mandado de detenção em nome da Presidente da Argentina, Cristina Férnandez de Kirchner, e do ministro dos Negócios Estrangeiros, em casa do procurador judicial encontrado morto no passado dia 18 de Janeiro.

O procurador estava a investigar o ataque bombista ao centro judaico em Buenos Aires, em 1994. Segundo o New York Times, o documento de 26 páginas foi encontrado no caixote do lixo de Alberto Nisman e acusa a Presidente de tentar proteger responsáveis iranianos pelo ataque. O mandato visava ainda o ministro dos Negócios Estrangeiro, Héctor Timerman

Nisman morreu na véspera de ir ao Congresso para ser ouvido sobre acusações de alegada interferência da chefe de Estado na investigação que conduzia.

Tanto Kirchner como Timerman negaram ter tentado chegar a uma acordo com os iranianos para anular mandatos de captura internacionais que recaíam sobre os suspeitos da autoria do atentado de 1994.