Economia

Taxa de desemprego sobe para 13,5% no final de 2014

A taxa de desemprego subiu 0,4 pontos percentuais no 4.º trimestre de 2014 face ao anterior, para 13,5%, mas a taxa média anual caiu 2,3 pontos percentuais no ano passado face a 2013, para 13,9%.


Os dados hoje anunciados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) surgem em linha com as estimativas de economistas ouvidos pela agência Lusa, que apontavam para um ligeiro aumento do desemprego no último trimestre do ano passado que, contudo, não comprometeria uma queda superior da taxa anual.

Superior em 0,4 pontos percentuais (p.p) face ao trimestre anterior, a taxa de desemprego de Outubro a Dezembro de 2014 aumentou após seis trimestres consecutivos de taxas de variação trimestral negativas, tendo sido inferior em 1,8 p.p. à do trimestre homólogo de 2013.

No período, a população desempregada é estimada em 698,3 mil pessoas, o que representa um aumento trimestral de 1,4% e uma diminuição homóloga de 13,6% (mais 9,4 mil pessoas e menos 109,7 mil pessoas, respectivamente).

Já a população empregada foi estimada em 4.491,6 mil pessoas, o que corresponde a um decréscimo trimestral de 1,6% (menos 73,5 mil pessoas) e a um acréscimo homólogo de 0,5% (mais 22,7 mil pessoas).

A taxa de actividade da população em idade activa situou-se em 58,5%, menos 0,7 p.p. do que no trimestre anterior e menos 0,8 p.p. do que no trimestre homólogo.

Em termos de média anual, o INE aponta para uma diminuição de 2,3 p.p. da taxa de desemprego em 2014 face a 2013, para 13,9%.

No ano passado, a população desempregada foi em média de 726,0 mil pessoas, menos 15,1% do que no ano anterior (redução de 129,2 mil pessoas), enquanto a população empregada, estimada em 4.449,5 mil pessoas, registou um acréscimo anual de 1,6% (mais 70,1 mil pessoas).

De acordo com o INE, no último trimestre de 2014 a taxa de desemprego dos homens (13,1%) foi inferior à das mulheres (13,8%) em 0,7 p.p., o que representa um aumento de 0,8 p.p. e um recuo de 0,2 p.p., respectivamente, em relação ao trimestre anterior.

O aumento trimestral da população desempregada afectou sobretudo os homens (5,9%), as pessoas com 45 e mais anos (4,1%), com o ensino secundário (7,0%), à procura de novo emprego (3,3%), proveniente do sector dos serviços (3,0%) e à procura de emprego há menos de 12 meses (8,9%).

No 4.º trimestre, a população desempregada era composta por 50,1% de homens e 49,9% de mulheres, 18% dos quais jovens (15 a 24 anos), 22,9% dos 25 aos 34 anos, 23,4% dos 35 aos 44 anos e 35,7% com 45 e mais anos.

Mais de metade da população desempregada (54,9%) tinha, no máximo, completado o 3.º ciclo do ensino básico, 28,1% o ensino secundário e 17% o ensino superior, estando 35,5% dos desempregados à procura de emprego há menos de 12 meses e 64,5% há 12 e mais meses (longa duração).

Numa análise por regiões NUTS II, verifica-se que no 4.º trimestre de 2014 a taxa de desemprego foi superior à média nacional nos Açores (15,5%), Madeira (15,1%), Algarve (14,9%), Alentejo (14,5%), Norte (14,2%) e Lisboa (14,0%).

Abaixo da média nacional encontrava-se apenas a taxa de desemprego da região Centro (10,7%).

Face ao trimestre anterior, assistiu-se de Outubro a Dezembro a um aumento da taxa de desemprego no Algarve (3,7 p.p.), Madeira (2,1 p.p.), Alentejo (1,9 p.p.) e Centro (0,2 p.p.), mas em relação ao trimestre homólogo a taxa de desemprego diminuiu em todas as regiões, excepto no Centro (0,2 p.p.).

O INE nota que os maiores decréscimos ocorreram em Lisboa (3,2 p.p.), no Norte (2,2 p.p.) e no Algarve (2,1 p.p.).

Considerando todo o ano de 2014, observaram-se taxas de desemprego superiores à média nacional nos Açores (16,3%), Madeira (15,0%), Lisboa (14,9%), Norte (14,8%), Algarve (14,5%), e Alentejo (14,3%), encontrando-se abaixo da média nacional apenas o Centro (10,6%).

Em relação a 2013, e à semelhança do observado globalmente para Portugal, a taxa de desemprego diminuiu em todas as regiões, com destaque para Lisboa (3,6 p.p.), Madeira (3,1 p.p.) e Alentejo (2,6 p.p.).

Lusa/SOL