Internacional

EUA: Execução da pena de morte foi adiada

O Estado norte-americano da Geórgia, no sudeste do país, suspendeu hoje, "por precaução", as próximas execuções da pena de morte, devido à falta de um barbitúrico que é utilizado nas injecções letais, anunciaram as autoridades penitenciárias.

As execuções previstas de dois condenados à morte "foram atrasadas para que uma análise seja feita" ao produto que deveria ter sido utilizado na noite de segunda-feira para matar uma mulher, Kelly Gissendaner, indicou a porta-voz dos serviços penitenciários, Gwendolyn Hogan, em comunicado.

A execução de Gissendaner não foi feita devido ao aspecto "perturbador" do produto.

Kelly Gissendaner foi condenada à pena de morte por ter assassinado o marido, em 1997. Várias pessoas têm-se manifestado contra a sua execução.

Lusa/SOL