Vida

Pai teve de escolher entre dois filhos no ataque à maratona de Boston

Dois anos depois do atentado na maratona de Boston (EUA), surge uma história trágica.

Um pai disse em tribunal, esta quinta-feira, que teve de deixar o seu filho para tratar dos ferimentos da filha. O menino de oito anos acabou por morrer.

Martin Richard foi a vítima mais nova do atentado na maratona de Boston, que matou três pessoas e feriu mais de 260, em Abril de 2013. Jane, sua irmã, ficou com uma perna destruída devido à segunda explosão do incidente.

Bill Richard explicou ao tribunal, durante o julgamento de Dzhokhar Tsarnaev – um dos autores do atentado -, que teve de deixar o filho, que estava a morrer nos braços da sua mulher, para tentar salvar a vida da filha de sete anos.

“Vi um menino que estava gravemente ferido devido à explosão e soube que ele não tinha hipótese de sobreviver”, afirmou Bill Richard em tribunal, citado pelo Telegraph. “Tinha que agir rapidamente ou íamos perder também a Jane”.

Martin acabou por morrer no local e a menina ficou com a perna amputada. Bill também ficou com vários cortes e queimaduras, enquanto que a sua mulher ficou cega de um olho. Só o filho mais velho é que não sofreu quaisquer ferimentos.

Dzhokhar Tsarnaev, de 21 anos, está acusado de 30 crimes de terrorismo e pode ser condenado à pena de morte. O seu irmão e cúmplice, Tamerlan de 26 anos, foi morto pela polícia poucos dias depois do atentado.