Economia

Vítor Gaspar diz que só soube das dificuldades financeiras do GES no final de 2013

O ex-ministro das Finanças, Vítor Gaspar, enviou hoje as suas respostas por escrito à comissão parlamentar de inquérito ao caso BES/GES, assegurando que só tomou conhecimento das dificuldades financeiras do Grupo Espírito Santo (GES) no final de 2013.


"Ouvi falar de dificuldades financeiras idiossincráticas no GES no final de 2013. Em termos concretos, soube, mais tarde, das implicações da exposição do BES [Banco Espírito Santo] ao GES pela imprensa especializada internacional", lê-se no documento a que a agência Lusa teve acesso.

Sobre a exposição do BES ao GES, Vítor Gaspar disse que era "clara na estrutura do próprio grupo".

E afirmou: "O BES (e o GES) foram afectados pela interrupção do financiamento privado internacional à economia portuguesa que ocorreu na primavera de 2010".

Questionado sobre a ausência de referências aos problemas do grupo BES/GES "nos sucessivos documentos que foram sendo divulgados sobre o sistema financeiro português" entre 2011 e a saída do Governo de Vítor Gaspar, o responsável preferiu não responder.

"Não tenho nada a dizer sobre esta questão", escreveu o ex-governante.

Vítor Gaspar pediu para sair do executivo liderado por Pedro Passos Coelho no Verão de 2013, dando lugar à actual ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, que à data era secretária de Estado do Tesouro.

Lusa/SOL

Os comentários estão desactivados.