Politica

Passos Coelho: Trocas comerciais com a Argélia têm ‘elevado potencial de crescimento’

O primeiro-ministro português destacou hoje a "evolução muito positiva" das trocas comerciais entre Portugal e a Argélia e considerou que têm ainda "um elevado potencial de crescimento".

Pedro Passos Coelho foi hoje recebido pelo presidente argelino, Abdelaziz Bouteflika, na sua residência oficial, em Argel, depois da IV Cimeira Portugal-Argélia, que se realizou no Palácio do Governo, com a participação dos primeiros-ministros dos dois países.

À saída do encontro com Abdelaziz Bouteflika, antes de regressar a Lisboa, o chefe do executivo PSD/CDS-PP fez uma declaração aos jornalistas, congratulando-se com "os bons resultados desta cimeira", com "o espírito de cooperação muito intenso entre os dois governos" e com "a evolução muito positiva da relação comercial".

O primeiro-ministro português disse ter abordado na reunião com o presidente da Argélia temas de política externa como a segurança e a paz no Mediterrâneo, a situação da União Europeia, a relação com a Rússia e a instabilidade na Ucrânia, e, no plano bilateral, as perspectivas de investimento nos sectores da energia, turismo, agricultura e tecnologias da informação.

Na residência oficial do presidente da Argélia, Passos Coelho não quis responder a perguntas. Antes, esteve numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo argelino, Abdelmalek Sellal, durante a qual este falou em árabe, sem tradução para a comunicação social portuguesa, que acabou por ter direito a apenas uma pergunta.

Nessa conferência de imprensa, o chefe do executivo PSD/CDS-PP afirmou que "Portugal e a Argélia têm ao longo dos últimos anos intensificado as suas relações bilaterais, com uma melhoria bastante visível sobretudo ao nível das trocas comerciais".

Os governos de Portugal e da Argélia "acordaram continuar a trabalhar em conjunto para facilitar o ambiente de negócios para as empresas dos dois países e assim facilitar as trocas comerciais e de investimentos que têm, não há dúvida, um elevado potencial de crescimento, com benefícios mútuos", acrescentou.

Passos Coelho, que optou por falar em português, com tradução para francês, referiu que "a Argélia tem sido, sobretudo nos últimos anos, um dos quinze principais parceiros comerciais de Portugal, um dos cinco parceiros fora do espaço económico europeu e o segundo mercado africano a seguir a Angola, com quem Portugal tem relações muito especiais".

O primeiro-ministro português assinalou que "nos últimos cinco anos, as exportações portuguesas praticamente duplicaram, e o número de empresas portuguesas exportadoras para a Argélia atingiu as 359, tendo também muitas empresas portuguesas actividade no mercado argelino".

"Há neste caso uma predominância de empresas que actuam na área das obras públicas, da construção civil, mas temos assistido também a uma diversificação que é saudável, e que queremos incentivar, por exemplo, nos sectores do retalho, da indústria alimentar e agro-alimentar e nos sectores tecnológicos", prosseguiu.

O Governo português esteve representado na IV Cimeira Portugal-Argélia pelo primeiro-ministro e pelos ministros de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, da Economia, António Pires de Lima, e do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva.

Esta é a primeira visita que Pedro Passos Coelho faz a um país do Magrebe desde que é primeiro-ministro. As três anteriores cimeiras luso-argelinas realizaram-se no tempo dos governos socialistas chefiados por José Sócrates, em 2007, 2008 e 2010.

Lusa/SOL