Politica

Candidato do BE escolhido por referendo

O BE deverá escolher o candidato que vai apoiar na corrida a Belém através de um referendo interno, apurou o SOL. 
 

A figura do referendo, proposta pela moção de Luís Fazenda e de Pedro Filipe Soares, foi aprovada na última Convenção, e terá sido aprofundada na Mesa Nacional que reuniu este domingo, onde se começaram também a discutir e a votar as propostas programáticas do BE para as legislativas.

As presidenciais não estão oficialmente na agenda dos bloquistas, mas o partido já olha para o xadrez que se desenha à medida que surgem os pré-anúncios de candidaturas a Belém. Isto porque o BE não vai apresentar uma candidatura própria, uma vez que definiu no conclave do ano passado apoiar uma candidatura de convergência à esquerda. 

Entre os independentes à esquerda que se posicionam para a corrida está Sampaio da Nóvoa. O ex-reitor da Universidade de Lisboa, contudo, não deverá receber o apoio do BE «já que é uma candidatura que toca alguns sectores do PS», alerta um bloquista ao SOL, para acrescentar que o BE «dificilmente» quererá colar-se ao PS, em linha com a decisão tomada para as eleições de dia 29 na Madeira para as quais os bloquistas rejeitaram fazer uma aliança com os socialistas.

Só que o 'não' do PCP ao pré-anúncio de Carvalho da Silva fragiliza uma candidatura que era recebida com agrado no BE. «Se Carvalho da Silva perceber que está sem tropas não deverá avançar», nota outro destacado militante.

A difícil equação dos bloquistas começa aí. «A discussão é se o BE quer tocar os sectores do PS que apoiam Sampaio da Nóvoa ou se espera para ver se Carvalho da Silva reúne apoios e avança sem o apoio do PCP, o que não lhe augura grande resultado», acrescenta. 

Afastada está a hipótese do BE apoiar um candidato do PS, como António Guterres ou António Vitorino. O mesmo se aplica ao candidato do PCP. Se não aparecer nenhum 'independente' que reúna um largo apoio à esquerda, o BE poderá ter de se virar para dentro. Francisco Louçã, com quem parte do BE sonha em silêncio, seria um dos nomes na lista de partida.

ricardo.rego@sol.pt