Internacional

Lee Kuan Yew: Morreu o ‘pai’ de Singapura

O primeiro líder de Governo de Singapura, a quem é atribuída a transformação do pequeno porto asiático num dos países mais ricos do mundo, faleceu esta madrugada aos 91 anos, vítima de pneumonia.


Formado em Direito pela Universidade de Cambridge, Lee Kuan Yew foi primeiro-ministro de 1959 a 1990, liderando Singapura enquanto entidade autónoma da Commonwealth (de 1959 a 1963), enquanto unidade federal da Malásia (de 1963 a 1965) e finalmente como nação independente (a partir de 1965).

Durante essas três décadas, e graças a políticas favoráveis ao investimento e ao empreendedorismo, a cidade tornou-se num centro financeiro e logístico internacional, atraindo cidadãos e empresas de todo o mundo.  

Apesar da prosperidade de Singapura, Lee era alvo de duras críticas por silenciar a oposição e a imprensa livre, e o país tem um dos códigos penais mais repressivos do mundo. Por outro lado, o ex-governante é considerado o ‘pai’ da nação do Estreito pelos seus esforços para a coexistência das diferentes comunidades da cidade – chinesa, malaia, indiana e europeia.

Há vários anos afastado da política activa, Lee continuava a ser um dos actores mais influentes de Singapura. O actual primeiro-ministro, Lee Hsien Loong, é o seu filho mais velho. Era ainda um reputado conselheiro de líderes de todo o mundo.

A cidade-estado localizada à beira do Estreito de Malaca declarou sete dias de luto nacional até ao próximo domingo, quando se realiza o funeral do estadista. Entretanto, chovem tributos dos principais chefes de Governo e de Estado mundiais, de Barack Obama a Vladimir Putin.

pedro.guerreiro@sol.pt

Os comentários estão desactivados.