Internacional

Lufthansa não faz testes psicológicos aos pilotos

A Lufthansa, que detém a low cost Germanwings, não faz testes psicológicos aos seus pilotos, disse o presidente da transportadora aérea alemã, Carsten Spohr, em conferência de imprensa, depois de se saber que o co-piloto do A320 que se despenhou em França activou deliberadamente a descida que provocou a tragédia. 

Há seis anos, Andreas Lubitz interrompeu a sua formação por razões clínicas, que não foram reveladas por confidencialidade médica. Só depois terminou o curso antes de começar a voar, o que é invulgar.

“Se uma pessoa se mata e leva consigo 149 pessoas, uma outra palavra deve ser usada, não se trata de suicídio”, disse o líder da Lufthansa. "Nenhum sistema de segurança pode prevenir as acções de um piloto", diz.

A empresa “não tem qualquer pista” sobre o que levou o co-piloto a fazer despenhar o avião. Spohr explica que não foi ainda esclarecido se o comandante introduziu o código de emergência para entrar na cabine ou se o co-piloto trancou a alavanca de abertura que impede que o código funcione mesmo que seja digitado. 

Spohr fez ainda saber que a Lufthansa está a prestar apoio financeiro às famílias das vítimas.

Co-piloto tomou controlo do A320 e activou descida

Como funciona o acesso ao cockpit de um A320?