Sociedade

Explosão em pedreira sentida na Margem Sul e Lisboa

Uma explosão no paiol da pedreira da Sobrissul, em Sesimbra, foi sentida em vários concelhos da Margem Sul do Tejo e em várias zonas de Lisboa, incluindo Oeiras e Cascais. Segundo fonte da Direcção Nacional da PSP, esta foi provocada por uma empresa que procedia à destruição programada de resíduos explosivos.

DR  


O alerta foi dado às 22h23 e foram feitas centenas de chamadas para as autoridades.

Segundo declarações da GNR de Sesimbra à agência Lusa, a explosão não provocou feridos e os bombeiros já foram desmobilizados.

De acordo com declarações de fonte da autarquia à CMTV, trata-se de uma "detonação que estava programada, mas que acabou por ser mais violenta do que era suposto".

“A equipa de bombeiros já foi desmobilizada, não há vítimas, nem temos conhecimento de danos materiais”, disse às 23h35 fonte dos bombeiros de Sesimbra.

Segundo o presidente da Câmara de Sesimbra Augusto Pólvora, alguns habitante da aldeia de Pedreiras afirmam que ficaram "com os vidros das janelas das suas casas partidos". O autarca disse ainda que a operação "começou durante o dia".

"Aqui em Palmela, onde vivo, ouviu-se um estrondo. As janelas começaram a abanar e os cães desataram a ladrar”, disse uma testemunha ao SOL.

"Ouvi um estrondo seco e perguntei ao meu marido se tinha sido um carro a bater na rua. Até os estores tremeram", contou uma habitante de Cascais.

A situação está a ser muito comentada nas redes sociais.

Actualizada às 00h18

joana.alves@sol.pt