Sociedade

Comboios regionais são os mais afectados pela greve da CP

Os comboios regionais são os mais afectados pela greve dos revisores da CP, não tendo circulado qualquer circulação entre as 00h00 e as 10h00 de hoje, disse à agência Lusa a porta-voz da empresa, Ana Portela.

“Os comboios regionais (Minho, Douro, Algarve, Beira Alta, Beira Baixa) são os mais afectados. Não circulou nenhum”, disse a responsável da CP, adiantando que a nível geral circularam apenas 39 composições em 455 programadas.

De acordo com Ana Portela, também os comboios urbanos do Porto e de Lisboa estão a ser muito afectados pela paralisação.

“No Porto circularam cinco em 93 previstos e em Lisboa 16 em 215”, disse a porta-voz da CP, adiantando que a empresa está a conseguir realizar quase todos os Alfa Pendular e Intercidades que estavam programados.

Os revisores CP agendaram uma greve de quatro dias (02, 03, 05 e 06 de Abril) para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais sobre o pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996.

A esta paralisação vem juntar-se a greve ao trabalho em dia feriado convocada pela Federação do Sindicato dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) para os dias 03 e 05 (sexta-feira Santa e domingo de Páscoa).

Em declarações à Lusa hoje de manhã, o presidente do presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão e Comercial Itinerante, Luís Bravo, disse que a adesão à greve dos revisores da CP, para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais relativa ao pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996, ronda os 100% nos turnos entre as 23h00 e as 08h00.

Na sequência das greves, a circulação deverá começar a ser afectada, devendo os atrasos e supressões prolongar-se até terça-feira (07 de Abril) de manhã.

Lusa/SOL