CasaPia

Carlos Cruz não mostrou arrependimento

O acórdão do processo Casa Pia considera que Carlos Cruz não revelou «arrependimento» pelos abusos sexuais que lhe foram imputados e sempre negou os factos pelos quais acabou por ser condenado


>>> Tribunal nega que PJ tenha «manipulado» investigação
>>>Tribunal apelidou Carlos Silvino de «predador sexual»


Para o colectivo de juízes, presidido por Ana Peres, a culpa de Carlos Cruz, condenado a sete anos de prisão, tem «elevado grau», tendo o arguido agido com «dolo directo», sem revelar «arrependimento e/ou interiorização da ilicitude da sua conduta».

Realça, contudo, que a postura do arguido em julgamento «foi de negação, mesmo quando confrontado perante o discurso das vítimas, cujo depoimento sempre desvalorizou», lê-se na sentença entregue hoje aos advogados e a que a agência Lusa teve acesso.

A favor do apresentador televisivo Carlos Cruz o tribunal diz ter «apenas a sua integração social, familiar e económica», que, contudo, «facilitou a prática dos ilícitos por si cometidos».

O tribunal considerou Carlos Cruz culpado de duas situações de abusos sexuais sobre menores ocorridas numa casa na avenida das Forças Armadas, em Lisboa, e duas numa casa em Elvas.

 

Sol /Lusa

Os comentários estão desactivados.