Vida

Chineses levam Velocidade Furiosa demasiado a sério e destroem Lamborghini e Ferrari

No sábado, dia em que o filme Velocidade Furiosa 7 chegou às salas de cinema na China, dois jovens decidiram fazer uma corrida ilegal num túnel de Pequim. O resultado foi desastroso, com o Lamborghini de um e o Ferrari de outro ‘destruídos’ após despiste.

A notícia do acidente, que terá acontecido a mais de 160 km/h, tomou de assalto as redes sociais no país. Foi polémica não apenas pelo perigo da situação em si, mas também pelo facto de os jovens condutores de supercarros –Tang, de 21 anos, ao volante de um Lamborghini verde, e Yun, de 20 anos, num Ferrari vermelho – serem os dois desempregados.

Foi a própria polícia, que deteve os dois ‘pilotos’, a confirmar que estes não tinham qualquer emprego. O rumor que passou então a correr indicava que seriam filhos de altos quadros do Governo chinês ou pelo menos do Partido Comunista.

No início desta semana a mãe de Tang veio desmentir essas notícias, dizendo ao jornal The Beijing News que o seu filho “é apenas um miúdo normal” e que a família vive em Pequim há muito tempo, não tendo quaisquer ligações políticas. Para justificar a compra extravagante do filho, a mãe disse que ele ganhou quatro milhões de yuan (cerca de 600 mil euros) a negociar acções, actividade que iniciou há dois anos. Para comprar o carro, o jovem teve até de pedir algum dinheiro ao pai, defendeu a senhora Tang.

Já o condutor do Ferrari, segundo o jornal chinês não pôde ser contactado. O The Beijing News refere, no entanto, que o registo do carro remete para um residente numa cidade que já não existe, tendo sido demolida para dar lugar a um empreendimento novo.