Economia

Pilotos da TAP avançam para greve de dez dias

Os pilotos da TAP deverão convocar uma greve de dez dias, entre as 00:00 de 1 de Maio e as 23:59 de 10 de Maio, caso o governo e a companhia aérea não atendam às suas reivindicações no âmbito da privatização da companhia.

No plenário de hoje, a proposta foi aceite pelos cerca de 500 pilotos, segundo um comunicado do Sindicato dos Pilotos de Aviação Civil (SPAC).

Segundo o SPAC, a direcção do sindicato foi mandatada para “praticar todos os actos e desenvolver todas as actuações que entenda necessárias para manter a unidade dos pilotos da TAP, no âmbito dos considerandos enunciados e do processo negocial em causa”.

Os pilotos exigem que “o Governo e a TAP honrem e valorizem os acordos de 23 de Dezembro de 2014 e de 10 de Junho de 1999 e os contributos dos seus pilotos ao longo dos últimos 15 anos, de um modo equilibrado”.

Em causa, estão, por exemplo, a reivindicação de uma participação entre 10% e 20% na companhia após a venda ou a garantia do cumprimento de algumas alíneas do acordo de empresa como a devolução de diuturnidades suspensas desde 2011.

A proposta agora divulgada termina com os pilotos a manifestar “a sua disponibilidade para desconvocar a greve no exacto momento em que sejam assegurados de forma inequívoca os direitos” reivindicados pelos pilotos.

O pré-aviso de greve deverá ser entregue “no prazo de um dia”.

Notícia actualizada às 20h36

ana.serafim@sol.pt