Desporto

Noite histórica do FC Porto frente ao Bayern Munique

Nunca uma equipa portuguesa havia marcado três golos ao Bayern Munique (em 23 confrontos). O feito é da autoria do FC Porto, que pela primeira vez marcou três golos a uma equipa alemã nesta fase, ao derrotar o Bayern por 3-1, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

Ainda os jogadores davam os primeiros passos no relvado, aos dois minutos de jogo, quando um erro de Xabi Alonso deixou Jackson Martínez na cara de Neuer, que acabou por derrubar em falta o avançado colombiano, regressado de lesão. O árbitro não teve dúvidas e apontou, de imediato, para a marca do castigo máximo. Chamado à cobrança da grande penalidade, Ricardo Quaresma – o 13.º jogador com mais jogos nas competições europeias pelo FC Porto (46 jogos) –, não falhou: bola para um lado, Neuer para o outro.

Os adeptos dos ‘dragões’ ainda se tentavam acalmar da entrada fulgurante da sua equipa quando Quaresma voltou a fazer das suas: Dante teve uma má recepção, o internacional português conseguiu roubar-lhe a bola e seguiu isolado para a baliza, onde se fez valer da famosa ‘trivela’ para voltar a enganar o guardião germânico (10’) e bisar pela primeira vez na Champions – 3.º golo do internacional português na prova (8 jogos).

Julen Lopetegui tinha razões para festejar: nunca o Bayern, na era de Pep Guardiola, tinha estado a perder por dois golos de diferença na prova. E só Manchester United, Real Madrid e Manchester City tinham conseguido abrir o marcador frente aos bávaros, num palco europeu, com o técnico espanhol no banco de suplentes.

Os alemães sentiram-se 'feridos' no orgulho e partiram para cima da equipa portuguesa. O FC Porto optou por deixar a posse de bola para os rivais e explorar os erros alheios. Não se deu mal mas, numa desatenção defensiva, Thiago Alcântara aproveitou para se estrear a marcar na prova milionária da UEFA (o primeiro golo em 10 jogos pelo Barcelona e 5 pelo Bayern).

Após um canto na esquerda, Boateng foi à linha de fundo no lado direito cruzar forte para o segundo poste, com a bola a passar por todos os defesas dos ‘dragões’, acabando nos pés de Thiago, que só teve de encostar. Até ao intervalo, os alemães ainda tentaram inverter por completo o resultado, mas sem sucesso.

E se na primeira parte, os pupilos de Lopetegui surpreenderam com uma entrada em campo a todo o gás, no regresso dos balneários, para o segundo tempo, a pressão do FC Porto intensificou-se ainda mais. Ainda os jogadores do Bayern se preparavam para receber a bola e rapidamente ficavam cercados por adversários, quase sem espaço de manobra.

Foi então, com naturalidade, que surgiu o momento alto da noite, pelos pés do colombiano do costume – que apontou o seu 6.º golo na prova (7 jogos). Jackson Martínez, quem mais, que fez um golo de levantar o estádio: passe longo de Alex Sandro para o colombiano que, após receber exemplarmente o esférico, ainda consegue isolar-se, contornar Neuer e carimbar o resultado final no Dragão (3-1).

O FC Porto apresenta-se assim já na próxima terça-feira em Munique, com uma vantagem preciosa no derradeiro duelo de acesso às meia-finais da prova milionária da UEFA.

Passeio catalão pelo 'Parque dos Príncipes'

No outro jogo da noite, o Barcelona não teve dificuldades em bater o Paris Saint-Germain (3-1), em Paris, e ganhou vantagem na discussão por um lugar nas 'meias' da Champions.

Órfãos de Zlatan Ibrahimovic, os comandados de Laurent Blanc pouco mostraram no ataque e em termos defensivos pouco conseguiram fazer para evitar os golos de Neymar e Suárez (2). O golo de honra dos franceses surgiu já perto do apito final por intermédio de Gregory van der Wiel.

As duas equipas voltam a medir forças na terça-feira, em Nou Camp.

hugo.alegre@sol.pt