Sociedade

Governo da Madeira vende casa onde Jardim passava férias

É uma das primeiras medidas do novo Governo Regional presidido por Miguel Albuquerque: na primeira reunião do Conselho de Governo, que teve lugar ontem à tarde, foi decidido vender em hasta pública a casa onde Alberto João Jardim passava férias da Páscoa e de Verão, na ilha do Porto Santo.

 

A ‘Datcha’, como é apelidada, era utilizada por membros dos governos regionais cessantes mediante o pagmento de uma diária simbólica (20 euros). Durante a campanha eleitoral, Albuquerque já tinha dito que não fazia sentido o governo ser dono de casas de férias sem qualquer “utilidade social relevante”.

A alienação das casas de férias era uma velha batalha da oposição, tendo sido proposta pelo CDS na Assembleia Regional, em Julho de 2013. A 24 de Julho deste ano, o então deputado do PND, Helder Spínola, montou uma tenda nos jardins da casa de férias no Porto Santo em protesto pela utilização do imóvel por governantes regionais.

Ontem, o porta-voz do Conselho de Governo, o novo secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo de Jesus, justificou a medida como o cumprimento de uma promessa eleitoral. O secretário regional das Finanças e Administração Pública, Rui Gonçalves, foi mandatado para iniciar o processo de registo das residências do Governo Regional na ilha do Porto Santo para futura alienação em hasta pública.

Numa lógica descentralizadora, foi também decidido transferir do Funchal para Câmara de Lobos, cidade piscatória, a Direccão Regional de Pescas.

Hoje, às 18h30, Miguel Albuquerque será recebido em Lisboa pelo primeiro-ministro, no primeiro encontro oficial como presidente da Região, e amanhã, pelas 11h30, encontra-se com o Presidente da República, Cavaco Silva.

As imagens podem ser vista aqui.